Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

cenas de gaja

26
Jun08

Sissi Responde - O vómito

sissi

Tenho 23 anos e namoro há poucos meses com o meu namorado. Damo-nos muito bem, principalmente no que toca à vida sexual, na qual já temos os dois uma experiência considerável. Gosto muito (e sempre gostei) de praticar sexo oral, e o meu namorado gosta muito de ser o feliz receptor deste acto, o que o torna ainda mais apetecível. Gosto muito também da consequência final e é para mim muito excitante que ele ejacule sobre mim ou na minha boca.

Mas tenho um problema: tenho um reflexo de vómito incontrolável quando isso acontece (quando ele ejacula na minha boca). É muito frustrante não conseguir fazer uma coisa que acho mesmo excitante, e mais frustante ainda tentar explicar-lhe que este reflexo não quer em nada dizer que não gosto do que estou a fazer!! É estranho?? Serei a única?? Por favor ajude-me Princesa!!

Súbdita Devidamente Identificada

 

Estimada Súbdita,

antes de mais nada disso é estranho nem é a única. Tirando eu, e talvez algumas putas, não conheço mais nenhuma mulher que se sinta assim tão à vontade com o esperma. Eu gosto de o ter um pouco por todo o lado, seja dentro ou fora. Não sinto o mínimo nojo, prurido ou culpa (sim culpa, também as há assim). Mas compreendo que nem todas sejamos assim. O acto de brochar é intuitivo mas também obedece, mais do que a regras, a posições de conforto individual. Ou seja, mais do que saber o que é standard na situação, o que importa é o que é bom para cada um. Seja lá o que isso for.

 

No seu caso, Estimada, e porque não sei porque razão lhe dá o vómito - se pelo sabor ou por qualquer outra razão - aconselho-a a um treino que assenta, antes de mais, no relaxamento. Se estiver sempre a pensar no vómito não vai poder disfrutar do broche. E para isso mais vale estar quietinha. Tente que o seu namorado não ejacule para dentro da sua garganta. Aí sim vai ver o que é vómito... Mesmo que seja praticante do deep throat, como eu, quando perceber que o orgasmo aflora, tente subir a boca até à glande e deixe o esperma ficar por aí. Pelo menos até se habituar. E acredite: é mesmo uma questão de hábito.

 

Se o problema persistir, deixe a questão de lado por uns tempos. Volte a insistir, se quiser, mais tarde, mas não demasiado. As águas paradas também dão o seu fruto.

 

Boa sorte e vá dando notícias.

 

Disclaimer: Este consultório não é profissional, como imaginam. Aqui não se resolvem problemas, conversam-se. O que terá apenas a importância que cada um de nós lhe der. As questões serão respondidas por ordem de chegada, todas as quintas-feiras. Missivas para aqui: princesa-sissi@sapo.pt

 

12 comentários

Comentar post

Arquivo

  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2009
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2008
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2007
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2006
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2005
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2004
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D