Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

cenas de gaja

04
Dez07

Cock teasing

sissi

A condição humana é qualquer coisa que respeito. Mas há condições humanas que não só me enervam até ao caralho mais velho, como exortam em mim a mais total falta de respeito e interesse. Falo, obviamente, do cock teasing.

 

Para os mais prosaicos, cock teasing é a arte da vigarice sexual e, provavelmente, a maior plataforma de entendimento entre grelame e machame. E perguntam vocês: Oh minha Sissi, princesa vivida e sábia, porquê? Porque apesar de munidos de ferramentas diferentes, a motivação e o fim são exactamente os mesmos: enganar. Mostrar que a esquerda é a direita, que o Sol e a Lua são uma e a mesma coisa, que o broche é mau e que o Sporting não é a melhor equipa do mundo. É uma gente que não interessa, portanto.

 

Porém, ser cock teasing não é para todos. Porque nem todos temos essa capacidade de atrair. Na realidade, nem todos temos desenhos e curvas suficientes para encher o olho alheio e essa é a condição certa e primordial para se ser cock teaser. Há os «brinca na areia». Estes são os «brinca pichota». Aqueles que se fazem de «muita malucos», que vão subir e descer o teu Monte Sinai com a destreza de um peregrino em busca das Tábuas da Lei e te levarão ao Olimpo da existência sexual.

 

E quando, finalmente, depois de promessas de minetagem e canzana vária, nos convencem que aquela reencarnação de Nacho Vidal foi a melhor coisinha que aconteceu à existência humana, eis que se retiram, quais virgens envergonhadas ao vislumbre de piça erecta e pronta, num misto de «o que é que a tua língua está a fazer na minha boca?» e «isto já não se pode sair à rua, há gente para tudo, francamente.»

 

Ora bem, a estes grandes queridos e queridas apenas umas palavrinhas, fófinhas, da vossa princesa: pó caralho!

 

O teasing na cama é bom. É óptimo. O teasing que sabemos ser concretizado é igualmente perfeito. O teasing tipo toca e foge, no caso do grelame, acompanhado de uma sonsice enjoativa, desperta em mim sentimentos plebeus. Querer fazer coisas com pessoas que nos intimidam por alguma razão é legítimo. Essa intimidação, e as razões que a trazem, também. O que é, verdadeiramente, insuportável, é o ar com que se lançam inuendos e serendipismos sexuais ocos e sem história, só para podermos obter dos outros substracto para o nosso próprio ego.

 

Foleirote.

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Arquivo

  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2009
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2008
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2007
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2006
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2005
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2004
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D