Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

cenas de gaja

09
Mai07

Sissi Responde - A Dor

sissi
Há emails que chegam ao Sissi Responde que por uma questão de pudor e respeito, mesmo quando autorizada para tal, não me atrevo a publicar aqui pelo sofrimento que os impregnam. Esta é uma delas, da qual publicarei estas frases que vos mostro, e cuja resposta servirá para todas aquelas que são enviadas com o mesmo conteúdo e a mesma pergunta.

O amor da minha vida decidiu que eu não sou a mulher da vida dele. Sinto-me morta por dentro.

Súbdita Devidamente Identificada

Estimada Súbdita

Por mais estranho que possa pensar, Sissi é uma princesa mas é, antes de mais, uma mulher. E é como mulher que lhe digo que não há forma de atenuar o sofrimento que agora sente. Não há comprimidos, poções mágicas ou feitiçarias – para usar uma linguagem que conhece...- que faça desaparecer essa dor que a trespassa. Quando amamos muito alguém queremos com a mesma força que ela fique connosco no «felizes para sempre» ideia na qual, especialmente nós, mulheres, fomos formatadas. É legítimo que todos nós queiramos alguém à nossa medida, com tudo aquilo que gostamos e descartando o que nos aborrece ou nos deixa inseguros. Mas isso é, com a mesma força, igualmente infantil e impossível. A dor é uma etapa que não pode eliminar, sob pena de nunca crescer por dentro. Sim, que não é na felicidade que vamos mais longe. Nem no esquecimento ou na mentira. É sofrendo e errando. Aproveite a tristeza que tem entre mãos e estruture-se. Tome conta de si, mime-se. Rodeie-se de pessoas positivas e abra-se para o mundo. E se fraquejar e lhe apetecer dizer ao seu amor que ele ainda é o seu amor, desde que não de uma forma constante e patológica (e digo-o por si, entenda...), não se culpe. Isso não é uma forma de fraqueza mas de força. Sim, é preciso ser forte para assumirmos o afecto quando ele não é retribuído ou é esconso. Mas pense nisso como um caminho, como uma etapa que não poderá nunca queimar porque, feliz ou infelizmente, ainda não existem manuais sobre como lidar com as separações. Quanto à questão que me coloca – se acha que ele vai voltar para si – eu devolvo-lhe outra: será que você vai querer voltar para ele? Acredito que isto agora não lhe faça sentido, mas se pensar mais em si e menos nele a coisa ameniza... A única garantia que lhe dou é que passa...o tempo cura tudo...e que depois de passar você estará outra. Basta que para isso se dê mais valor, olhe para dentro de si e repita, todos os dias, várias vezes ao dia: Eu sou grelame do melhor!

PS. Este Consultório foi, talvez, «demasiado consultório» mas impunha-se. Os mails de gente magoada chegam às carradas...


Disclaimer: Este consultório não é profissional, como imaginam. Aqui não se resolvem problemas, conversam-se. O que terá apenas a importância que cada um de nós lhe der. As questões serão respondidas por ordem de chegada, todas as quintas-feiras. Missivas para aqui: sissiresponde@yahoo.com

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Arquivo

  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2009
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2008
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2007
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2006
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2005
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2004
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D