Terça-feira, 30 de Janeiro de 2007
Generosidade
Já aqui escrevi sobre isto mas nunca é demais lembrar: a generosidade é das melhores qualidades do ser humano. Uns têm, outros gostavam de ter e há uns tantos que não fazem a mais pálida ideia do que isso seja. A boa notícia é que, salvo esta última casta, todos nós, em querendo conseguimos lá chegar.

Claro que não é como quem bebe um iogurte líquido de morango com chilli e pepitas de chocolate com quase 100 calorias. Não. Ser-se generoso implica trabalho e, sobretudo, maturidade, vontade de se sentir bem com o bem estar dos outros e permitir que esse facto, por si só, o faça alcançar outros patamares da existência humana. Mas cuidado com os generosos patológicos. Não que sejam perigosos, pelo contrário. São até bastante inócuos. Mas tornam-se chatinhos porque procuram dar aos outros para que os outros preencham lacunas de amor próprio cheias de eco. Ou seja, ao dar sem barreiras e desenfreadamente encontram substracto e gratidão no outros para que os possam manter por perto. E isso, não sendo uma cabala nem uma conspiração, pode ser um presente envenenado.

E falo disto porquê?. Porque de há uns meses a esta parte que recebo, via mail, todos os dias sem excepção, uma música que me é enviada por um súbdito deste palácio. Esta relação nem sequer é epistolar porque o mail traz apenas notas de música. Não vêm palavras, teorias, conceitos. É uma missiva electrónica que traz uma pauta, impregnada de bom gosto e generosidade. Damos na medida em que isso nos faz sentir felizes. E isso basta-me.

A si, muy Estimado, muito obrigada.

publicado por sissi às 10:35 | link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Comentários:
De Horizonte Vertical a 30 de Janeiro de 2007 às 13:15
Eu não dou nada a ninguém.........era o que me faltava PORRAAAA


De Menhir a 30 de Janeiro de 2007 às 13:18
Acho que o Nelson identifica muito bem o que é ser-se alturísta, (uma foram encapotada, consciente ou inconsciente de egoísmo).

Exemplos:

O maior altruísta conhecido "liquido", o Sr. Bill Gates, provavelmente pesa-lhe a consciência da forma como aniquila a concorrência e domina informáticamente o mundo;

Os países ricos chamados Ocidentais do Hemisfério Norte, esmagam e espremem os países pobres do Hemisfério Sul ao abrigo da Politica Agricula Comum, Organicação Mundial do Comércio, Fundo Monetário Internacional, Banco Mundial e outras organizações afins,depois perdoam muito altruísticamente umas dividazinhas e uns jurozecos num gesto de "ajuda" que nos fica muito bem.

Mesmo aqui o melómano da princesa, buscará servir concerteza um propósito mais lato, na senda do CCM.

Bjs p/elas e Cmpr p/eles.


De Lulu a 30 de Janeiro de 2007 às 11:51
Bons dias V. E.xa e fieis subditos...

Ajudo porque ajudo; ajudo e não quero nada em troca; ajudo mais em a nivel de gestos e palavras porque financeiramente bem isto nem sempre corre bem... ajudo quem me ajuda, quem me conhece, quem não me conhece e até quem diz mal de mim...
presente envenenados também dou alguns...mas só para dizer eu não sou como tu ( e ficas fodido?) porque eu ajudei...
sou assim... admito pouco inteligente... mas que hei-de eu fazer, não sei ser de outra forma...

bacci


De River a 30 de Janeiro de 2007 às 11:40
(Tu sabes) que sou generosa. Aliás dizem os que melhor me conhecem, bem como os que comigo trabalham todos os dias, que é das minhas principais caracteristicas...
Mas, não sei se isso é necessáriamente bom...

beijinhos


De José Manuel a 30 de Janeiro de 2007 às 11:49
Em princípio tanto altruismo do dador é de desconfiar, no entanto, a Princesa melhor do que ninguém sabe como agir. Será que o que ele quer é música. Se é vais ter que te decidir, não é?


De asdrubaltudobem a 30 de Janeiro de 2007 às 11:35
É um tema muito complexo. Muitas vezes quem dá dá com a única intenção de aliviar a consciência pela merda que faz.
Por exemplo será que é aceitável receber dinheiro para uma qualquer obra de caridade quando se sabe que esse dinheiro vem de fortunas conseguidas por meios menos licitos? ou mesmo em alguns casos dinheiro que vem dos traficantes de droga?
Eu quando ajudo ajudo porque acho que esse deve ser o papel de todos, ajudar quemn precisa, ajudo porque me dá prazer ver a felicidade na cara daqueles a quem ajudo, mas também eu sou um bocado egoista poiso mais fácil ser generoso em termos materiais do que em termos de gestos e atitudes pois esta generosidade custa mais e dá mais trabalho e eu confesso que quando ajudo o faço em termos materiais.


De maria.pekena a 30 de Janeiro de 2007 às 11:33
bom dia

Princesa, fica a dúvida, afinal o seu presente, considera-o envenenado ou nem por isso?
Mas k é um bonito presente, isso é....
bom trab


De nelson anjos a 30 de Janeiro de 2007 às 11:23
Embora o texto refira de forma explícita e sem equívocos todas as nuances possíveis no acto de dar, ainda assim a ideia de generosidade arrasta sempre consigo a ideia do "dar desinteressado".

Ora, a tese - admito que pouco edificante e ainda menos poética - que defendo sobre a matéria, é a de que somos todos interesseiros. Ninguém dá a outrem o que quer que seja sem esperar em troca uma retribuição. Nem que seja apenas um sorriso que queira dizer: "recebi". Ou um "muito obrigado".

O acto de dar consubstancia sempre uma forma de relação com o outro, em que o canal que a implementa tem sempre dois sentidos: o de dar e o de reconhecer. Claro que existe uma enorme diferença entre o dar obsceno, que Sissi tão bem tipifica no seu texto, e o dar discreto e elegante que mal se faz notado.

O dar cristão conta sempre com a recompensa interesseira de Deus. Mesmo aquele dar ateu e anónimo, em que a fonte é totalmente desconhecida de quem recebe, e em que não existe plateia para ver e aplaudir, credita-se sempre sob a forma de um acréscimo de satisfação na conta - não bancária - mas da auto-estima de quem dá.

cumps.
nelson


De Matie a 31 de Janeiro de 2007 às 10:28
Discordo: Não é saudável ser um "generoso compulsivo", para ter amigos. É bom sermos generosos, mas é preciso conhecer os limites para não desacreditar qualidades.

As coisas são boas em conta peso e medida. Tudo o que é demais enjoa!

cumps


De Xena a 31 de Janeiro de 2007 às 10:28
Bom dia a todos :)

Confesso que quando ajudo algumas associações de solidariedade (e faço-o apenas por transferência bancária pois sou demasiado egoísta e acho que tenho uma vida demasiado ocupada para ir fisicamente ajudar os outros) imprimo logo o comprovativo e entrego-o ao meu contabilista para beneficiar das compensações fiscais. No entanto poderia nem sequer ajudar... E ninguém sabe quem eu sou.
Depois vêm os amigos e familía, a quem dá prazer ajudar e sim, existe sempre a vantagem de saber que podemos sempre contar com eles. Mas afinal não é assim que funcionam as relações humanas?
Creio que os "presentes envenenados" a que a nossa Princesa se refere são demasiado óbvios e deveremos ser nós próprios a ajudar a pessoa que nos quer "ajudar", começando por levantar a sua auto-estima.

Beijos & vénias


Comentar post

 
livro

livro
Sex Bomb - O terceiro livro Download gratuito

livro

livro

livro Correio da Princesa
jukebox
Jazzanova - No Use

videos



arquivos

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

subscrever rss

badge