Quinta-feira, 22 de Junho de 2006
A Boa
Há qualidades que admiro numa mulher. Ter classe, nível, saber falar, saber estar calada, ser articulada, de pensamento rápido. De resto admiro isto em qualquer pessoa. Mas há um grupo de mulheres que com o tempo vem ganhando a minha simpatia, e lugar de destaque na minha lista, infindável, de curiosidades sobre o ser humano. Chamei a esse grupo o das Gajas Boas.

Nos tempos, por vezes confusos, em que vivemos, ser Boa não tem preço. Quase equiparado ao ser Inteligente, o desenho que nos foi dado pelos genes e pela faceta aleatória da vida faz do nosso corpo uma verdadeira arma. Obviamente que ser Boa sem ser mais nada não é suficiente para atingir o Olimpo, dirão vocês. Mas um estudo aturado da espécie, com bastante inveja à mistura, diz-me que ser Boa, por si só, é como uma calçadeira. Ajuda a entrar na forma do sapato.

Uma Boa não pode tudo. Mas pode muita coisa... Pode, pode por exemplo, ser burra, ter mau gosto, não saber soletrar, ser inconveniente, ou mais prosaicamente, furar uma fila, conseguir não ser multada por excesso de velocidade, não ser despedida por incompetência, amaciar um taxista irado, enfim, sair-se bem de um conjunto de situações que poria em cheque, ainda que momentaneamente, qualquer outra mulher menos Boa.

Para além disto, às Boas está reservado um código e registos sociais diferentes. Um homem embeiçado por uma Boa (passo o pleanasmo...), acha sempre que uma bufa vinda da Boa não é mais que um gás expelido com graciosidade das nádegas do Belo ser. Tal como uma Boa que chegue sistematicamente atrasada (sinal, quanto a mim, de falta de chá...) é uma mulher activa com uma agenda carregada. Uma Boa que não seja particularmente comunicativa é, automaticamente, alguém que encerra um aura misteriosa.

Sendo que as regras do mundo são ainda ditadas pelos homens, o poder das mulheres toma variadas formas. Como uma gárgona que com as suas várias cabeças vai furando por onde pode na intrincada teia da luta de poderes. Ser Boa é um acidente. Nasce-se Boa. Mas é, quanto de mim, uma Via Láctea para o sucesso social e profissional. A Boa move-se nas auto-estradas. As outras nas estradas secundárias. Já se sabe quem chega primeiro à portagem, mas qual das duas fará a viagem de volta...?

publicado por sissi às 23:02 | link do post | adicionar aos favoritos

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

 
livro

livro
Sex Bomb - O terceiro livro Download gratuito

livro

livro

livro Correio da Princesa
jukebox
Jazzanova - No Use

videos



arquivos

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

subscrever rss

badge