Segunda-feira, 17 de Abril de 2006
The Great Pretender
Ultimamente tenho dedicado mais tempo à blogosfera que a qualquer outra actividade (excepto à procura de emprego e ao onanismo). Por ter demasiado tempo entre mãos, tenho-me dedicado ao navegar nestas águas por vezes turbulentas do pequeno mundo dos blogs. Para além dos que visito regularmente, dois ou três, decidi prescrutar, quase a link a link, o que os seus autores tinham para me dizer. Tal como calculava, há de um tudo. Milhentos assuntos e temáticas, diversas formas de abordagem das situações, enfim, o cenário habitual que certamente conhecem.

Ao dar a volta por uma dezena desses blogs, coincidentemente os mais, soit disent, influentes da blogosfera - por os seus autores serem conhecidos antes do respectivo blog ou por se terem tornado falados por via do mesmo - dei-me conta de um elemento comum. Mais do que as coisas que diziam, sobre as quais não me pronuncio, foi o tom altamente pretensioso com que o fazim. E ri-me, claro. Da mesma forma que sorri com a rede de amigos e amiguismos que facilmente se percebe através dos links nas páginas. É um lamber de cús tão mal feitinho que só dá mesmo para rir. É obviamente legítimo, por Zeus, façam o que entenderem, mas é tão poucochinho... Suponho serem uma gente difícil de conversar, porque, nota-se a léguas, escrever deve ser o seu acto de masturbação diária. Os seus textos estão pejados de informação literária, nomes de autores escandinavos ou bielo-russos, marcas distíntissimas que só eles conhecem, títulos pomposos. E isto parece ser tão mais importanto conquanto uma forma de vida. É um frenesim pela busca pelo novo autor, a novidade, o tema, o agenda setting, o IT. Mas nenhuma destas referências porderá ser acessível ao homem comum. Zeus nos livre! A popularidade na blogosfera é inversamente proporcional ao popularucho. Ou mesmo ao popular. Já ao pop, como é fashionable, pode ser usado, mas sempre em doses moderadas. E depois adoram palavras com mais de três sílabas. E hifenadas.

Na realidade, e indo à genese da palavra, pretensioso é o que pretende. E que pretendem estes pretensiosos? Pretendem que nos achemos que eles são uma coisa que nós não somos. E pretendem que nós queiramos ser como eles. Quem se importa que alguém queira ser como nós? Ninguém. Até gostamos. O que os pretensiosos desta blogosfera pretendem, e infelizmente de tantas outras esferas, é mostra-nos quão mais sapientes e versáteis e cultos eles são relativamente aos outros. Eles querem ser a pessoa que toda a gente quer ser, não percebendo que isso os coloca, exactamente, ao nível de todos nós... Quem não quer ser A pessoa para outro qualquer?

Nesta ronda vi sobretudo falta de vida, falta de gente dentro. Será que vivem? Ou simplesmente existem? E existirão fora da blogosfera? Será que sabem do que falam? Ou os livros e os filmes e a erudição que parece rodeá-los lhes tolda o empirismo dessas mesmas coisas?

Aqui na xafarica, mal ou bem, provavelmente mais vezes mal que bem, as coisas têm vida. Doídas umas, felizes outras, mas sempre, sempre, vividas.

publicado por sissi às 00:13 | link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Comentários:
De Imperial a 17 de Abril de 2006 às 08:31
Paneleiradas é que é.
PS-Excepção aos Confrades, certo?


De Jaime a 17 de Abril de 2006 às 09:41
Só para dizer que "pretensioso" escreve-se assim. Deriva de pretensão. Beijos a Vossa Senhoria


De glana a 28 de Julho de 2007 às 13:30
desculpem mas não percebi o - "pretensioso" escreve-se assim.


De cb a 17 de Abril de 2006 às 10:01
Como é que a viver em Londres se dedica mais tempo à blogosfera que a qualquer outra actividade?! A Camila ou o Tony n a convidam para um cha das 5?


De sissi a 17 de Abril de 2006 às 11:39
Caro Imperial,
obviamente que os Confrades não se incluem...pelo menos nem todos os confrades...

Caro Jaime,
obrigada pela correcção.

CB,
os chás das cinco terão que ficar para quando as circunstancias permitirem. Está quase...
Cumps a todos.


De Senador a 17 de Abril de 2006 às 14:20
É tudo uma questão de snobismo bacoco... Esses senhores e senhoras sofrem do síndrome de Sitemeter. Vivem para contabilizar o nº de visitas e link's, para escrever textos ilegíveis mas que pareçam eruditos, postar frases presunçosas como se fossem divas e magos, relembrar efemérides como se estivessem num concurso de televisão, etc., no fundo uma cambada de iludidos com uma pretensa grandeza.


De sissi a 17 de Abril de 2006 às 15:59
Caro Senador,
é não é? É uma gente estranha. E mais estranho ainda é o séquito...como se gostar de tudo o que os outros gostam fizesse de nós iguais. É deixá-los na paz do Senhor...

cumps


De River a 17 de Abril de 2006 às 16:51
Sabes q mais, a maioria nem os leio, de tão enfadonhos q são!!!
Os blogs, para mim, tento fazer como no contacto directo c as pessoas, se entendo como uma mais valia (seja quais forem as razões), convivo, e estreito relações... Se não, ñ hà paciência!... Já ñ hà "cú q aguente"!!!

Será isso tb uma forma de snobismo... admito q para mt gente sim, para mim é uma questão de gestão de tempo... fisico e mental, q ñ chega efectivamente para td, logo têm q ser mt bem gasto! :)

"aquele" abraço Alteza, e a vénia (hà mt ñ fazia uma vénia ;))


De sissi a 17 de Abril de 2006 às 17:18
Riverzinha,
compreendo o que dizes.
Talvez todos nós sejamos snobs à nossa maneira se pensarmos que fazer escolhas é deixarmos coisas e pessoas para trás. A questão está nas motivações e na forma como o fazemos. All in all, e quanto a alguns blogs da nossa pequena feira de vaidades, não há mesmo cú que aguente tanta peneirice.

Aquele abraço e aquele beijinhos tb
sissi


De Imperial a 17 de Abril de 2006 às 19:45
Ilustre Sissi,

Como decerto já reparou, os Confrades são verdadeiramente homens, logo regem-se por alguns que valores que falam mais alto que tudo; tem razões de queixa de algum, a nível de paneleirada ?

Cumps,
Imperial em mode expectante.


De sissi a 17 de Abril de 2006 às 20:24
Caro Imperial,
com a pressa da leitura julguei que se referia a snobismo e não a paneleiragem e foi assim que respondi. Quanto à paneleiragem, não disponho de dados suficientes para lhe poder dar uma resposta concreta. Umas afirmações machas e uns posts igualmente cheios de testosterona não fazem de alguém um macho de verdade. Mas de facto nada me faz duvidar da virilidade de tão ilustre confraria...

cumps.


Comentar post

 
livro

livro
Sex Bomb - O terceiro livro Download gratuito

livro

livro

livro Correio da Princesa
jukebox
Jazzanova - No Use

videos



arquivos

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

subscrever rss

badge