Terça-feira, 8 de Novembro de 2005
Nocturnos lisboetas
sissi - portanto, deixa ver se eu percebi: vocês durante a semana mal se vêm, estão cansados, com pouca pachorra e vontade um para o outro.
amigo - sim, é isso.
sissi - e depois chega o fim de semana e têm os amigos sempre lá em casa, e a família, e os jogos da bola e as aulas de alemão...
amigo - pois...
sissi - e tu não entendes como é que a tua vida sexual descambou...?
amigo - entender entendo, mas não sei como inverter esta espiral descendente...
sissi - e se falasses e com ela? Se lhe dissesses do que gostas?
amigo - como assim?
sissi - sei lá, passem um dia inteiro só os dois, indulge yourselves, sei lá pá, não me faças pensar muito na vossa vida sexual...
amigo - eu se lhe digo que quero passar um dia inteiro a foder ela acha estranhíssimo...
sissi - estranhíssimo? Mas tu não conheces a mulher com quem vives?
amigo - conheço, mas ela é muito menos sexual que eu...
sissi - tás fodido...
amigo - da mesma forma que tu estás fodida se apanhas um gajo assim também...
sissi - pois...mas é certinho que esse não vai viver lá pa casa...
amigo - tu és uma gaja estranha...
sissi - yes...and proud of it!!
amigo - tu tens cá uma forma de ver as coisas...nunca serás uma mulherzinha!
sissi - pois não...o que seria realmente frustrante se eu quisesse ser uma mulherzinha... as mulherzinhas não gostam de acordar, comer, fumar uma ganza, foder, comer novamente, intervelar para ver as notícias, foder novamente, comer, fumar outra ganza, intervalar para mudar o cd, voltar a foder, e no meio disto tudo, falar e rir muito. À noite, sair, beber copos, estar com amigos, e vir para casa a correr para voltar a fazer tudo isto de novo...
amigo - pois não, de facto... mas tu com esses hábitos burgueses não arranjas gajo...
sissi - isso, my friend, é uma verdade indesmentível...


publicado por sissi às 22:47 | link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Comentários:
De Anonymous a 8 de Novembro de 2005 às 15:19
Não sei se será tão difícil assim. Uma pessoa que fala, que se revolta contra a superficialidade, uma pessoa directa, e se fode conforme escreve, candidatos não faltarão. Nem que seja para "picar no ponto"...

De facto, 100% burguesa. Grande emprego. Há alguma vaga para a mesma função, ou com o mesmo nível remuneratório?

Explícito


De sissi a 8 de Novembro de 2005 às 15:31
Caro Explícito,
vá por mim. Mais que difícil, está a tornar-se numa tarefa hercúlea...agradeço a simpatia das palavras e os piropos «explícitos» e outros nem por isso, mas garantidamente, o que parece ser uma coisa boa é, na realidade, uma barreira ao conhecimento. E dou-lhe um exemplo muito rapidamente: ando para comer um tipo vai para meses. Finalmente, na sexta feira, para conseguir que ele mexesse o cú tive que lhe abanar com a palavra «masturbação» (básico), ainda tive que providenciar preservativos e drogas. E mesmo assim a coisa não se deu pq, segundo ele, eu o «intimidei»... Portanto, como vê, picar o ponto tb já se tornou uma coisa complicada. Ser burguesa já não tem os benefícios de outrora. O nível remuneratório da realeza falida é tão interessante quanto qualquer outra coisa desinteressante...


De Patsy Dear a 8 de Novembro de 2005 às 15:40
arranjas gajo sim.
não arranjas é gajos como o teu amigo, que não sabe ou tem vergonha de dizer à namorada que quer foder com ela durante 24h seguidas como se n houvesse amanhã. e depois diz q ela n é sexual. qq dia ainda apanha um susto...

arranjas gajo sim, mas sem vergonha nenhuma na cara nem na pila. que é desses que a gente gosta.


De sissi a 8 de Novembro de 2005 às 15:46
Patsy my dearest,
já lhe disse que sou sua fã? Não lhe disse? Digo agora: sou mega-fã!
Mas isto está pela hora da morte... a crise chegou aos entrefolhos e agora é um salve-se quem puder! O meu amigo, coitado, é daqueles que vive uma dualidade estranha, porém comum, entre ser aquilo que é e o que esperam dele. Maneiras que arranjou uma tipinha sem sal, mas muito mulherzinha, e agora passa a vida a queixar-se que não tem sexo...enfim, cada um é pó que nasce, e eu nasci pa foder muito e bem, o que se há-de fazer...
bjs. mtos. querida!


De Tiago a 8 de Novembro de 2005 às 15:52
Quem percebe disto é a Patsy Dear. Percebe mesmo.

Há aí muito gajo que não vale a pena, mas há sempre quem surpreenda. Hás-de apanhar o teu soul mate. off the beaten track nunca é o caminho mais fácil, mas é o melhor para quem não quer ver a vida de uma varanda de hotel.


De sissi a 8 de Novembro de 2005 às 15:58
Tiago,
patsy dear rules!!!
Que bonita imagem essa de não querer ver a vida de uma varanda de hotel...a sério, foi bonito... anyway, apesar de parecer, não estou ainda bem numa fase de soul mate, nem sei se isso existe. Mas daqui a uns anos vai-me apetecer, e aí sim, estas palavras que parecem expressar preocupação vão deixar de ser palhaçada e tornar-se numa questão. Até lá, é divertir, meu caro, é divertir!!


De Milo Manara a 8 de Novembro de 2005 às 17:30
Isso de não arranjar gajos que gostem de foder ser um facto indesmentível é uma grande idiotice.

Eu sou obcecado por foder e sinto-me melhor numa relação estável. Claro que a monogamia é uma opção dificil (muuuito dificil), mas é uma opção.

Associá-la à falta de vontade de foder é intelectualmente desonesto. Parece-me uma fraca desculpa para quem já não tem muita tesão pela pessoa com quem está, que é um problema completamente diferente.


De Lisa a 8 de Novembro de 2005 às 17:38
Concordo aqui com o Manara, essa história do teu amigo soa a fraca desculpa... a mulher é menos sexual que ele??? Humm. Um dia destes ainda descobre que ela até é bem sexual e fornece-se onde há para abastecer. Que ele, pelos vistos, não tem muita vontade para...

Mas numa coisa tens razão: eles passam a vida a berrar que querem mulheres decididas e com garra, mas quando apanham uma pela frente pelam-se por uma sopeirinha.
Essa saída do 'tu intimidas-me' é do mais bacoco que há!


De sissi a 8 de Novembro de 2005 às 17:45
Milo,
o que eu disse ser um facto indesmentível foi ser difícil arranjar alguém que goste dos meus hábitos burgueses...só isso...Cada um deve estar no modelo em que se sente melhor, pois claro. Eu penso assim pq não estou apaixonada, nem penso vir a estar tão cedo, logo, enquadro-me numa conjuntura de paixões várias de diferentes dimensões e importancias...A monogamia é obviamente dificil pq não conseguimos reunir tudo o que gostamos numa pessoa só, para além das solicitações serem mais que muitas. Mas haja convicção e coragem para viver em pleno essa opção...
Lisa e Milo,
a vossa interpretação dos (poucos) elementos que dei desta história é perfeitamente válida e legítima, mas asseguro-me que este meu amigo foi o melhor parceiro que já tive e vontade não lhe faltou nunca... Ele é a prova que as relações para funcionarem implicam trabalho e dedicação. De outra forma, matam, entre outras coisa, o sexo...


De Anonymous a 8 de Novembro de 2005 às 19:20
Minha Cara Sissi,

Não veja nas minhas palavras qualquer tipo de juízo ou crítica. Quero evitar confusões e que esteja tudo claro. O juízo para tudo, deve partir de si mesma. Daqui, só sairão meras opiniões.

Ao lê-la (com gosto), deparei-me com uma figura felina. Ou seja, cruelmente predadora, friamente calculista. Depois d alvo escolhido, se a "dentada" não foi fatal, lança um "guloseima" e segue-se a estocada final.

Ao contrário do que tinha lido, a personagem/pessoa que parecia ter um sangue fervilhante aparece numa postura gélida, desprovida de "latinidade". Penso eu de que...

É chegado o tempo que as pessoas assumam a sua sexualidade, a civam como podem e/ou desejam, e que não se importem com olhares de invejas várias.

A única coisa que pessoalmente me incomoda é a saudação da droga (seja ganza, whatever). O disfrutar de sensasões de euforia e prazer são intensos, embora que limitados. Valerá a pena castrar pouco a pouco aquilo que nos permite ter uma GANDA PEDRA durante toda nossa vida que uma mente bem estimada e em plena vitalidade?

Uma curiosidade: fode sempre sob o efeito de "apoios" (drogas)?

Cara Bouguoise, ter uma vida dessas, sem preocupações de horários nem de €€€€, é tudo menos desinteressante...

Quanto a possibilidade de faltar diversão, quem brocha com tamanha dedicação e fervor quasi religiso... ;)

Agora fora do assunto: porque é mais fácil sair com uma gaja que é casada, ou com data marcada, que com gajas que têm namorado? Nunca perguntei directamente, mas julgo que devem ser pessoas inseguras da sua relação, e pensar que na primeira hipótese se lhes salta prá cueca... Aguardo por considerações sociológicas.

Obrigado.

Explícito


Comentar post

 
livro

livro
Sex Bomb - O terceiro livro Download gratuito

livro

livro

livro Correio da Princesa
jukebox
Jazzanova - No Use

videos



arquivos

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

subscrever rss

badge