Segunda-feira, 24 de Outubro de 2005
Ó tempo volta para trás...
Há dias em que me sinto velha. Não porque as minhas olheiras estejam mais crónicas que nos outros dias, ou porque as minhas costas me doam mais do noutra manhã qualquer, mas, simplesmente, porque descobrimos que a paciência que temos para certas coisas se esvai e só damos por isso quando uma situação, outrora familiar, nos causa uma incomodidade estranha.
Entabular conversas com o sexo oposto na esperança que a noite corra bem, é uma delas. Tenho para mim, como convicção forte, que o nosso grau de interesse pelo sexo oposto é tão mais volátil quanto tesudo é o espécime em causa. Já dei por mim a pensar o melhor de perfeitos atrasados mentais apenas porque as feromonas me «obrigavam» a isso. Se tem pinta e toca a corneta no ponto certo, é do melhor. Se é feio ou menos interessante, embora saiba palavras com mais de três sílabas e, pasme-se, até junta duas ou três numa mesma frase, torna-se invisível mesmo que seja a única pessoa que esteja no nosso comprimento de onda. Não me orgulho especialmente deste meu lado, mas quando o desejo é uma coisa já mal contida, os critérios mudam, e não é pouco.
Mas como nada é taxativo na vida, existem as excepções, aquelas que me fazem pensar que estou velha e cansada e sem pachorra. De repente, dou por mim a ficar de narina entumescida por coisas que relevava, irritada com situações que nem dava conta e a levantar-me polidamente e sair com a leveza de um peso-pluma. A noite de sexta feira mostrou-me que há coisas que mudam. Umas para pior, outras para melhor e outras que ainda estou para saber.
A noite estava perfeita. Comporta, em casa de amigos, Marvin Gaye dava a toada, um bom Esporão no copo e uma erva de qualidade na mão. O grupo de convivas era perfeito. Nem demasiadas mulheres ou homens, nem demasiados solteiros ou casados, conhecia metade, a outra metade estava por conhecer. A campaínha toca e eu viro-me para ver quem chega. Fez-se luz. Espécime perfeito. As minhas hormonas latejavam e comecei a olhar em volta para criar uma manobra de diversão que me permitisse chegar à fala (e ao falo...) com a reencarnação de Adónis. Antes disso, as perguntas sacramentais:
- Mary, nome, idade, estado civil, profissão e preferências sexuais.
- Miguel, 34, solteiro sem namorada, arquitecto, straight.
- Obrigada querida. Posso atacar?
- Deves.
Estava montado o circo. Não demorou muito até que esta palhaça rica entabulasse conversa com o domador de leões. Grrrr.... Boas mãos e bons dentes (nestas coisas da caça tenho a tendência de olhar para os homens como para cavalos...), mas conversa de merda. Mas lá está, quando o sexo entra para o top 3 das cogitações diárias, as premissas variam, ui se variam.
Sei dizer que, à excepção do físico, o rapaz mandou todas ao lado e nem um tiro no porta-aviões. Ele conseguiu cometer a proeza de afundar todos os submarinos que são os meus requisitos e enervar-me profundamente. Desde uma manifesta incapacidade para comer à mesa a outras tantas que o impedem de cortejar uma rapariga com garbo, foi uma desgraça. E quando a coisa se estava quase a dar (sim, que eu sou tipo Pitt Bull, quando fecho a mandíbula...), dei meia volta, volvi e voltei para os braços do meu vibrador.
O tempo passa e há coisas que ficam lá atrás. Ainda bem.


publicado por sissi às 18:15 | link do post | adicionar aos favoritos

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

 
livro

livro
Sex Bomb - O terceiro livro Download gratuito

livro

livro

livro Correio da Princesa
jukebox
Jazzanova - No Use

videos



arquivos

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

subscrever rss

badge