Quinta-feira, 13 de Outubro de 2005
Maré Vazia...ou talvez não.
Ontem, histérica de alegria e contentamento, meti-me no bólide depois da FNAC e fui em killer mode até casa. Debaixo do braço levava uma caixinha de DVD´s azul, à qual me agarrava como se a minha vida dependesse dela. Chego ao Palácio, faço um tabuleirinho com um hot dog e um Sunny D, Florida Style, e refastelo-me no leito Real a rebentar de conforto. Sem saber ainda o que me esperava, ligo o DVD e ouço a música do Verão Azul. De imediato me vêm à memória as tardes em casa da avó, nas quais vivia ansiosa para que o relógio batesse as 3 e assim ligar a televisão. Começava o Agora Escolha, da Vera Roquette. Independentemente do que fosse o Bloco A ou o Bloco B, a turma do Piranha preenchia o intervalos das votações ao mesmo tempo que animava aquela minha hora diária.
Passou o genérico e passou a animação. Porque se um clássico é um clássico é um clássico, porque o tempo passa e ele é sempre bom sempre bom sempre bom, então o Verão Azul não é um clássico. Das duas uma: ou houve uma geração inteira a sobrevalorizar uma série que se tornou de culto, ou então aquilo é muito à frente e eu não topei o alcance. Na altura, pareceu-me um grupo coeso, amigo, com as diferenças naturais entre as pessoas, mas sobretudo, unido. Hoje, parece-me irreal que um velho e uma quarentona, o Chanquete e a Julia, pudessem andar um Verão inteiro a aturar uns chavalos mimados com brincadeiras parvas, porém próprias da sua idade. Para além disso, hoje em dia vejo que o grupo sobrevivia à custa das fragilidades uns dos outros numa autofagia cruel. A Bea, a rapariga gira e disputada, era a compincha da Desi, a do aparelho nos dentes e de óculos que ninguém queria nem para pano do pó. O Javi, que se vivesse cá seria um betucho do Planalto, rivaliza com o Pancho, a encarnação mais perfeita da minha fantasia dos putos da Casa Pia, numa luta, como se calcula, desigual. Em condições normais, estes putos nunca se teriam sequer cruzado. O Quique (que é igualzinho ao Bill Murray), é tão anódino, que se vê logo que tá ali só pa encher chouriços. É mais um betucho que tem que existir para dar contracena e fazer o contraponto com o outro. O betucho esperto e o betucho burro. Na realidade, o núcleo dos mais novos, Tito e Piranha, é o mais interessante e o mais verosímil. Por incrível que pareça, o Piranha é o que tem as falas mais inteligentes. Mas como os gordos são sempre sacos de porrada, o seu personagem está ali apenas para nos espantar, e supostamente fazer rir, com a quantidade de comida que consegue deglutir.
Portanto, agora que sistematizo a coisa, se calhar o Verão Azul é, na realidade, um clássico. Porque se pensarmos na forma como os grupos de organizam hoje em dia e no modo maniqueísta como as personagens nos são apresentadas como sendo um espelho da vida real, então esta grupeta é do mais actual possível.
Foda-se. Agora não sei se fique triste se fique contente. Acho que acabei com o mito...


publicado por sissi às 18:10 | link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Comentários:
De Ana a 13 de Outubro de 2005 às 11:16
É por essas e por outras que eu prefiro não rever essas séries que deliciavam a nossa infância...
Adoro o teu blog!!


De Bock a 13 de Outubro de 2005 às 11:30
Ora nem mais.
Revisitar mitos costuma ter esse efeito.
Por iso é que nunca mais vi o 'Rumble Fish'. Na altura devo de o ter visto aí umas 20 vezes.
Também, mesmo querendo, sei lá onde é que ele andaria.

Mas isso foi depois do Verano Azul.

la-la-lara-la-la-la

Del barco de Chanquete, no nos moverán...

Fiquei com uma boa ideia dessa série. Faz parte do meu imaginário da altura. MAs... mito ou não, desfazendo-o ou não, epá, com franqueza, era absolutamente incapaz de revisitar essa coisa. ;)


De sissi a 13 de Outubro de 2005 às 11:40
Aninha,
obrigada! A malta aqui tb adora que cá venhas! beijinhos!

Super,
O Rumble Fish era do melhor...aqueles «hunks» todos...eu as minhas amigas do colégio viamos aquilo como se fosse proibido, tal era a excitação com a grupeta do Matt Dillon...
Qt ao Verano, foi mesmo uma desilusão pá! E nem me debrucei sobre o lado técnico da coisa. Erros de anotação e racord eram mato, más interpretações também, planos de corte que não se entendiam, enfim. Valha-nos a música!


De Rosebud a 13 de Outubro de 2005 às 13:50
Sabes como é, a única coisa que alimenta o mito é a distância, e isto aplica-se tanto aos homens lindos pelos quais babamos no escurinho do cinema como às séries de culto de toda uma vida! Mas, claro, como podemos conter-nos? Se me disserem que o Jude Law é o maior imbecil à face da terra isso ia tirar-me a vontade de um tête-à-tête com o moço? No way! E o mesmo se passa com as séries: dada a oportunidade de rever o Verão Azul, os Heróis de Shaolin ou o MacGyver, mesmo sabendo que já não vai ser a mesma coisa, como resistir??

Muito bom ler-te, como sempre.
Besitos :)


De sissi a 13 de Outubro de 2005 às 15:24
Rosy,
Os Shaolins e o McGyver tinham que me pagar muito bem para os ver...Qt ao Jude Law tb dispensava, agora o Clive Owen...podia ser burrinho, burrinho, mas também...não era bem para jogar Trivial Pursuit que eu o queria...;-)
Bjos!


De reverse a 13 de Outubro de 2005 às 15:24
Gostei da conclusão :-)
O que os nossos olhos vêem hoje não pode ser o mesmo q vimos há vinte anos (ou 10... ou 5... :-))
A isso chama-se cressscer ... ou não?
Bjs.


De sissi a 13 de Outubro de 2005 às 15:29
Reverse,
crescer?????? Nâoooooooooooooooooo!!!! Não queroooooooooooooo!!!


De Lisa a 13 de Outubro de 2005 às 15:37
Pois também acho que o Verão Azul envelheceu mal. É pena, mas pena maior era EU envelhecer mal, e isso, juro, não vai acontecer :D


De Assessora Pipinha a 13 de Outubro de 2005 às 15:42
deve ser pela mesma lógica de ideias que o portugal dos pequeninos era uma aventura para mim e agora acho aquilo, sei lá, pequenino?


De sissi a 13 de Outubro de 2005 às 16:09
Assessora Pimpinha,
creio nunca a ter visto por cá!Mi casa sua casa!
O Portugal dos Pequeninos sempre achei sinistro. Agoro acho-o apenas decrépito!
beijitos!


Comentar post

 
livro

livro
Sex Bomb - O terceiro livro Download gratuito

livro

livro

livro Correio da Princesa
jukebox
Jazzanova - No Use

videos



arquivos

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

subscrever rss

badge