Quinta-feira, 4 de Novembro de 2010
Amores perros

Minhas queridas,

 

que noite, a de ontem. O Universo às vezes é fodido mas sabe sempre o que faz. Claro que isto agora vos soa pior, mais ridículo e idiota que a própria hecatombe que, parece, se abateu sobre as vossas vidas. Ainda me lembro da última vez que o o meu coração se derreteu nas mãos de homem que queria «para a vida». Também tive amigos, quando os pedi, e arrendei o seu colo a cada golfada de ar. Para além de amizade, posso oferecer-vos o que tenho de melhor nestes dias. A minha presença silenciosa. Faz parte. Quando alguém que amamos decide mudar a bússola e não nos coloca em nenhum dos pontos cardeais, resta-nos o silêncio. Não o silêncio digno das bem aventuradas, mas o silêncio sofrido e doído das que, tendo coração, ficaram sem ele. Pelo menos, assim parece.

 

Dizer-vos que vêm aí dias melhores, não ajuda. Há sempre aquele gosto de fim de linha, que se mistura com as perguntas sem resposta, que nos obnubila o pensar e nos deixa apáticas, catatónicas. É sempre assim. Temos grandes planos para os outros. Neste caso, o plano de que a pessoa a quem entregamos o viver amoroso, e às vezes mais que isso, nos ame para sempre, sem percebermos que o «para sempre» só existe nas músicas foleiras de elevador. Nada é para sempre. Nem nós mesmas somos para sempre. Mas enquanto vivemos e alimentamos essa bolha, esquecemo-nos, tantas vezes, de nos alimentar a nós. Foi o vosso caso. Alargaram o vosso limiar de dor numa relação a dois e aceitaram que ele vos fosse transformando, insidiosamente, numa outra pessoa. Indesculpável, para quem partilha paredes connosco e que, paulatinamente, vai deixando de gostar sem nunca manifestar grande coisa a respeito.

 

Porque há homens assim. Mergulhados em culpa cristã e viciados em palavras bonitas que embrulham quotidianos falsos. Mas eles não importam, minhas queridas. O que importa são vocês. Chorem, berrem, gritem, durmam, durmam muito. Morram, nasçam e voltem. Porque quando o fizerem, vão perceber que o mundo vai continuar a girar e nós vamos continuar aqui. A girar convosco também.

 

 



publicado por sissi às 16:26 | link do post | adicionar aos favoritos

De Tinkerbell a 12 de Novembro de 2010 às 01:08
Ler Este post é quase como megulhar na minha mente e encontrar o meu recente modo de vida.
São palavras como estas que me alimentam a alma, que me guiam quando sinto que a escuridão de um amor mal resolvido, me leva para longe e me destroi o raciocinio.
Pois quem esta bem não entende a insegurança, a falta de ideias e a falta de vontade de entender sinais e pequenos nadas vindos de alguem que nos partiu o coração.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

 
livro

livro
Sex Bomb - O terceiro livro Download gratuito

livro

livro

livro Correio da Princesa
jukebox
Jazzanova - No Use

videos



arquivos

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

subscrever rss

badge