Quinta-feira, 28 de Outubro de 2010
I have a dream

A vida em comum é qualquer coisa que me atrai e repele com a mesma força. Quanto mais o tempo passa menos vontade tenho de encontrar o cheiro a macho em cada recanto do Palácio. Por outro lado, tenho dias em que o sonho romântico e adolescente me acerta em cheio qual maçã envenenada. O ideal seria enamorar-me pelo meu vizinho de baixo. Ou do lado. Ou da frente. Alguém que estivesse perto mas não demasiadamente perto, e apenas à distância de uns 3 minutos.

 

E nem vou aqui elucubrar sobre como a proximidade dá cabo do romance e do mistério. Até porque se dá cabo de umas coisas, constrói outras e ninguém disse que isto acontecia de forma fácil e sem trabalho. Concentro-me apenas na logística, no dia a dia, no quotidiano que encerra a manta e o sofá mas raramente compreende a casa inteira só para nós e para um desleixo que é útil e saudável. Nem sempre me apetece estar de banhinho tomado ou de cabelo penteado. Tenho dias em que este pele alva e leitosa só vê água antes de Morfeu e isso seria impensável com um macho a viver debaixo do mesmo texto.

 

E de pensamento em pensamento até à teoria final, lembrei-me de uma actividade diária sem a qual os meus nervos sobreviveriam muito pior: masturbação. Onde fica este deleite quando a vida de casal se instala? I have a dream. O sonho de poder masturbar-me quando me apetece sem que o parceiro se incomode, a não ser que se queira dar ao «incómodo» de se juntar. Mas não carece. Na verdade, esta obtenção do prazer autónomo é das coisas mais bonitas que uma mulher pode fazer por si. E disto não abdico. Como dizia, I have a dream. O de encontrar um parceiro que, percebendo a minha vontade de gemido em mono se orgulhe de mim e vá dar uma volta ao bilhar grande durante meia horita. Ou faça o jantar. Ou vá ler o jornal. Ou à bica. O que lhe apetecer. Mas que me deixe estar sossegada e quieta um bocadinho.

 

I have a dream. Still waiting.



publicado por sissi às 13:42 | link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Comentários:
De Charles a 5 de Novembro de 2010 às 17:25
Sabe Ana o sexo puro e duro muitas das vezes depende mais da mulher do que do homem, o que eu tenho reparado e confirmo é que a mulher perante um homem bom que lhe dá tudo que ela quer corta-se no sexo porque já ganhou o homem, porque o tem na mão, não precisa de se esforçar, já a mulher junta com um canalha cafajeste dá-lhe sempre sexo de qualidade porque tem medo de o perder para outra gaja... a vida é injusta: uma pessoa trata bem uma mulher fica sem sexo, uma pessoa trata mal uma mulher e tem sexo de qualidade...esta é a educação que as mulheres fazem aos homens


De ana a 6 de Novembro de 2010 às 11:55
Hmmmm.... Charles, sinceramente... não sei. Não tenho, de facto, essa percepção das coisas, não entendo como é que as coisas podem funcionar assim, até porque para mim e para as minhas amigas (casadas, solteiras, divorciadas) o sexo nasce do desejo e se há dias bons, certo é que também há dias maus. Mas vejamos o exemplo de uma mulher comprometida: se está com alguém, numa relação, é certo que pode e deve ter sexo - é normal que assim seja.
A parte da "caça" também é gira, e é o pior que pode acontecer, ambas as partes acharem que não têm de se caçar um ao outro. Eu, caçadora, assumo-me. Sempre gostei mais de caçar do que ser caçada. Desde que estou com a pessoa com quem estou, e porque me conheço e conheço-o e ele a mim, normalmente a coisa corre melhor se for eu a "caçá-lo". Não se pode pensar que a coisa é assim tão garantida à partida, senão perde a pica toda, mas sei que é assim. Aquela treta do sexo de fazer as pazes etc a mim não me diz nada, por exemplo. De qualquer forma, também sei que as coisas mudam e não são iguais ou não funcionam para todos da mesma forma; eu própria já mudei vários aspectos na minha própria forma de ser.

Relativamente às minhas amigas, a coisa é diferente pois são todas pessoas muito diferentes. Elas falam muito menos do que eu nisto tudo. Abrem-se menos e tenho até uma amiga que se recusa terminantemente a falar de sexo connosco. Acha que a esfera privada da sua vida com o marido é apenas dos dois (embora ele não ache o mesmo, pois desabafa comigo há anos) e apenas aos dois diz respeito.

Isto das relações entre homens e mulheres ser assim ou ser assado também não é assim tão linear, Charles. Uma das minhas melhores amigas é lésbica e conta-me dramas de ficar com os cabelos em pé. Tenho vários amigos gay que se fossem falar destas coisas em blogs, as caixas de comentários dariam bestsellers.

As pessoas são complicadas, complexas. Se assim não fosse, isto não teria piada nenhuma :) em caso de dúvida, é preferível arriscar e jogarmo-nos de cabeça. É este o meu lema de vida. Apenas isso.


Comentar post

 
livro

livro
Sex Bomb - O terceiro livro Download gratuito

livro

livro

livro Correio da Princesa
jukebox
Jazzanova - No Use

videos



arquivos

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

subscrever rss

badge