Segunda-feira, 11 de Outubro de 2010
Maigret de Pato ou de como as relações podem ser um verdadeiro open space

Era apenas mais um jantar. Não fosse estar alapada no melhor sofá da casa e o dito estar rodeado de grelame, teria sido, de facto, apenas mais um jantar. Daqueles que os amigos oferecem com o intuito de reforçar o anglicismo mingle e convidar pessoas que não se conhecem para travar, justamente, conhecimento. Dizia eu que estava com o meus glúteos cada vez melhores colados a um pequeno sofá para dois que açambarquei para mim, quando parte do grelame que se juntava à minha volta, quais acólitas em preparação para a missa, se lembra de iniciar o vómito colectivo e secreto em direcção aos seus mais que tudo, sentados no lado oposto da sala. Ou seja, abrem, literalmente as hostilidades, numa contenda onde só elas marcam presença.

 

Que aqui d'el rey, dizia uma, o tipo só desarrumava, não era capaz de colocar um prato na máquina, que ela já nem pedia mais, um prato, por Zeus, um prato e estaria reposta a harmonia familiar, ou que não, dizia a outra, o dela era muito limpinho mas um frouxo na cama, que, tadinha, não tinha um orgasmo vai para seis meses, altura, mais ou menos, em que ele começou a trabalhar que nem um cão, que, ok, está bem, sabem bem os 3500 euros no final do mês, mas, e ela?, ela também precisa dele, e ele, bandalho, nem um orgasmo para amostra, o pécora, ah, mas vocês têm muita sorte, dizia uma terceira, que o dela está com mais 15 quilos desde o casamento, um desleixado, ainda por cima, ela não se sente ouvida, sente ignorada, a pobre, ele não a apoia em nada, não quer saber. E foi mais de meia hora nisto. Até que perguntei, estupidamente: mas...vocês já falaram sobre isso com...sei lá...os vossos namorados e marido? «Achas? Eles lá nos ouvem!», responde a chefe das carpideiras, claramente a agitadora de massas de grupo.

 

Ora, dado que eu estava, como disse, alapada num sofá confortável e comer um maigret de pato que era uma especialidade, e um tinto, cuja proveniência desconheço, que acompanhava muito bem, estava-me a foder o juízo ter que me levantar para me sentar num sítio onde o ar fosse limpo. Mas assim o fiz.

 

E qual Labrador, fomos para um canto, eu e o meu maigret de pato, ao qual se nos juntou uma sensação de dejá vú. De facto, não é a primeira vez que assisto a este número de circo. E não é que duvide dos queixumes que ouvi, mas esta lavagem de roupa suja em público, este desbotar acompanhado de relações íntimas causa-me um espanto incrível. Porque seja qual for o motivo, não vislumbro uma razão, por mais ténue que seja, de rasgar de alto abaixo a pessoa com quem vivemos, nas suas costas, e depois alegremente voltar a casa e partilhar com ela a mesma cama.

 

Pior, não imagino o que levará alguém a fazê-lo com o objecto de (des)amor no mesmo metro quadrado. Acho de uma falta de respeito e de solidariedade inomináveis. E não interessa se têm razão. A intimidade discute-se no íntimo. Não quero ter que olhar para a cara de pessoas que conheço e ver um homem que é porco e não arruma ou um frouxo que não sabe foder.

 

A sério, grelame bom do meu país. Guardem o que é de guardar. Não transformem  o T2 da vossa relação num open space a céu aberto. Pelo menos não enquanto eu e o meu pato estivermos na sala.



publicado por sissi às 15:33 | link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Comentários:
De Charles a 11 de Outubro de 2010 às 16:30
50% dos rapazes entre os 25 e 35 vivem na casa dos pais, logo uma jornalista de televisão gozou a dizer que os homens são uns meninos da mãmã, eu pergunto, vale a pena abandonar o lar para viver com umas putas que cospem no prato aonde comem? a questão que as mulheres não querem saber é: PORQUE os homens não querem viver com as mulheres, olhando para as minhas vizinhas, colegas de trabalho, amigas, conhecidas, primas etc e tal tenho a resposta: as mulheres de hoje não valem a merda que cagam


De Sissi a 11 de Outubro de 2010 às 16:37
Charles,
a sério. Acho que tenho sido educada e paciente consigo e com as suas iniquidades e merdas de uma forma geral. Dizer, neste blog, que as «mulheres não valem a merda que cagam» é livre trânsito para o meter a andar. Não quero ter que o fazer, seria a primeira vez em 6 anos de blog. Mas lá porque eu abro a porta ao debate não quer dizer que aceite tudo. Isto é uma democracia mas quem manda sou eu. À vontade, aqui, nunca foi à vontadinha. Apanhe lá a merda que fez e se quiser ficar, porte-se com termos. Se não, boa viagem.


De Charles a 12 de Outubro de 2010 às 08:08
A Sissi sinceramente como mulher deve ser farinha do mesmo saco, as ovelhas procuram as parelhas, acho que tem muita razão vou procurar por outras bandas isto aqui é agua inquinada demais para mim, a vida é curta adios


De charles vai pa PUTA QUE TE PARIU a 2 de Novembro de 2010 às 11:02
OH CHARLES E SE FOSSES PA PUTINHA QUE TE PARIU? OU MESMO, FAZER UM BROCHE AO TEU PAI CARALHO?


De Charles a 3 de Novembro de 2010 às 04:02
PUTA É A CABRONA DA TUA MÃE FILHO DA PUTA DO CARALHO, VAI LAMBER O CU DO TEU PAI E FODER A TUA MÃE CABRAO DE MERDA MONTE DE ESTERCO


De Piston a 12 de Outubro de 2010 às 01:35
Isto é de um nível bem elevado. Ninguém diria que essa vida sentimental vai de vento em popa.


De Kitty * a 12 de Outubro de 2010 às 14:36
"as mulheres de hoje não valem a merda que cagam"

Caro Charles, incluis a tua mãezinha nesta generalização?


De Charles a 13 de Outubro de 2010 às 19:44
Kitty vá chupar caralhos


De Kitty * a 14 de Outubro de 2010 às 10:32
Vou seguir o teu conselho e certeza que vou ter muito prazer! Ao contrário de ti, que certamente não tens nada para "chupar" em casa... Ou dormes com a tua adorada mãe, com quem certamente ainda partilhas a casa, ou então és gay, pela forma como odeias as mulheres!


De Nina dos Alpes a 13 de Outubro de 2010 às 02:49
Caro Charles,
Já tudo foi dito, claramente. E por quem manda nesta casa. Nada tenho a acrescentar.
No entanto, pergunto-me se o senhor ainda mora com a puta que cuspiu no prato do seu pai e, porventura será sua mãe (se reparar é mulher e alguma deve ter feito). A título de curiosidade.
Com os melhores cumprimentos,
Uma cientista :)


De Charles a 13 de Outubro de 2010 às 19:32
Nina dos Alpes aqui discutimos relações entre homens e mulheres que sÃo diferentes da relações entre pais e filhos, como sabe existe divorcio entre homens e mulheres e nÃo existem divorcio entre pais e filhos
porque o amor é incondicional... ora bem agora vamos ao resto, PUTA É A CABRONA DA SUA MÃE Nina dos Alpes SUA FILHA DA PUTA DE MERDA...A BOCA NOJENTA DA SUA MAR DEVIA DE LABER CUS DE PRETOS


De j a 14 de Outubro de 2010 às 01:41
uau charles, que mauzao! tamos todos com medo agora. será que tas a tentar compensar uma pilinha pequena?


De tepidezcronica a 11 de Outubro de 2010 às 17:40
" This WAS a man's world "

Isto era o que o James Brown cantaria se fosse vivo..

Não há tacto, não há sensibilidade e os 3500 euros por mês dão muito jeito ao fim do mês..

Congrats mais uma vez


De D.Juan DeMarco a 11 de Outubro de 2010 às 18:44
elas queixam-se mas na realidade esse namorados/maridos é que fazem bem... é foder e cagar nelas. Claro que, há casos e casos. e é muito facil imaginar os papeis a inverterem-se... mau sexo e ou felações... javardonas que nem os cabelos limpam do ralo... desleixadas e desinteressadas... Eu nao lig princesa e tu fizeste muito bem em fugir com o teu saborosissimo pato. eu faço o mesmo: Afasto-me do menos bom e aproximo-me do excelente e positivo. só assim atraímos mais do mesmo. ósculos reais na mão da princesa


De S a 11 de Outubro de 2010 às 23:15
Há poucas pessoas assim como a princesa.Eu até um T1 partilhava consigo, assim me fosse dado valor para isso.


De Piston a 12 de Outubro de 2010 às 01:29
E, por concordar com tudo, tenho que aplaudir.


De Centaurus a 12 de Outubro de 2010 às 02:19
Fantástico texto!
Não o imaginaria melhor escrito: "Acho de uma falta de respeito e de solidariedade inomináveis. E não interessa se têm razão. A intimidade discute-se no íntimo."

Respeitosos cumprimentos


De Rafael a 12 de Outubro de 2010 às 02:23
Não sei se haverá relação ou não (deixo ao critério de Vossa Majestade), mas lembro-me de ouvir repetidamente diversos(as) proprietários(as) de apartamentos que se negavam a alugá-los a estudantes universitárias do sexo feminino.

Cumprimentos


De P a 13 de Outubro de 2010 às 11:50
Olá,

quando perguntavas num post anterior, qual era a razão de lermos o teu blog, esta é a minha.
Imaginar uma tipa gira, com "os glúteos cada vez melhores colados a um pequeno sofá" , a comer o maigret e espantada com essa lavagem de roupa suja. A levantar-se e destacar-se dessa novela cliché.
Eu tenho a impressão que há mulheres que preferem falar mal dos homens, do que serem felizes com eles.
Mas tu não, tens uma análise sóbria, apaixonada onde deve ser.

É o que diferencia as mulheres umas das outras, a sua classe, não terem a vulgaridade de se refugiarem em lugares-comuns quando falam de homens.

Aplaudo.

ps: E também não fazes post com perfumes, sapatos e merdas dessas.


De Sissi a 13 de Outubro de 2010 às 11:56
Obrigada, P. Esta vou levar pró Retiro.
Cumps e até breve.


De V a 14 de Outubro de 2010 às 01:34
É uma boa oportunidade para também dizer porque leio este blog. Neste post e comentários estão logo umas boas razões.
Primeiro, é uma pessoa individualizada (cada vez mais raro) que escreve, e sem medo ou reservas, assumindo um estilo próprio. Isto parece fácil dito assim mas um estilo próprio pressupõe primeiro que tudo uma vida própria, diferenciada, e um olhar distanciado, e sobretudo um pensamento, o que já de si é de nota.
Depois mostra-se inteira, com todas as contradições que isso implica, o que enriquece o blog e faz com que eu regresse aqui; posso não concordar, não gostar, mas leio sempre.
Ainda é capaz de falar de um ponto de vista feminino sem ser aquele tão estereotipado, de muitas mulheres que dizem o que "é suposto" e não o que realmente pensam.
E depois, ao comer com uma quantidade de comentários negativos e ridículos, ainda tem a moral de:
1º responder,
2º continuar.

Parabéns

ps: em francês diz se Magret de canard, e nao maigret


De Bock a 14 de Outubro de 2010 às 10:56
Há muito tempo que não deixava cá um comentário, apesar de ir passando por cá, de tempos a tempos, mas desta vez justifica-se, para te dizer que é por causa de posts destes que vale a pena ler-te. Muito bom.
E bom retiro. Cuidado com a kundalini. Há quem diga que quando vais já não voltas igual ;)


De alexandra a 1 de Novembro de 2010 às 23:42
Adorei o post.

Subscrevo. Curiosamente também conheço um grupo de "machos" que, quando se reúne, dedica-se a fazer o mesmo quanto às namoradas.

Sejam eles ou elas, poupem-nos as indigestões.


Comentar post

 
livro

livro
Sex Bomb - O terceiro livro Download gratuito

livro

livro

livro Correio da Princesa
jukebox
Jazzanova - No Use

videos



arquivos

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

subscrever rss

badge