Segunda-feira, 29 de Novembro de 2010
Lelo

E depois de monitorizar as centenas de downloads do terceiro livro - para os mais distraídos, podem fazê-lo gratuitamente aí do lado direito ao pé das capas dos outros livros - estou de volta ao recesso do lar real. E para quê? Para vos dar conta de uma das razões onde gasto o meu tempo e dobrões: os sex toys da Lelo.

 

Não sei como é convosco, mas comigo, mesmo que seja badalhoco, o sexo tem de ser bonito. Há qualquer coisa no erotismo e na estética da foda que me encanta sobremaneira. Vai daí, desde que descobri estes pequeninos que não olho para o lado. Sou mulher de um vibrador só, a não ser que esse vibrador venha em formas e feitios deveras bonitos e bons. Por isso, sugiro que pousem a vista nisto. Aconselho-os todos a todos. Não porque me apeteça, mas porque sei. Tenho-os a todos cá em casa e sei do que falo.

 

Para já, fiquem com a mais nova aquisição. Tem tanto de lindinho como de perfeitamente eficaz e tem pormenores deliciosos. Seis velocidades e cadências para vosso gosto e prazer. O meu é cor de rosinha e dourado. Um must. Lindo de morrer. E vem com um pin, ou um broche, como preferirem, que nos identifica a todos. É uma coisa tipo maçons da foda. Nós os fãs da Lelo conhecemo-nos. Não é?




Segunda-feira, 22 de Novembro de 2010
O novo livro - download à borliú!

Maneiras que é isto. Quando a vida nos mete uma curva sinuosa no meio de uma recta, há que reduzir velocidade e mudar de rumo. Tanta merda pra vos dizer que afinal o livro e as promos e o caralho já não saem. Nas bancas. Saem aqui. Se repararem bem, no lado direito do ecrã, em cima, junto às capas dos outros livros, está um documento em pdf prontinho a ser descarregado, pela módica quantia de 30 segundos, que é mais ou menos o tempo que demora até terem a Obra na mão, de seu nome Sex Bomb.

 

Aproveito para agradecer, sem ironias, a todos os que colaboraram. Foram realmente muitos os súbditos e súbditas que participaram. Espero que gostem do resultado. Passem a palavra, façam o download, partilhem. É de borla e de coração.

 

Enjoy!

 

PS. o livro não está paginado nem revisto. Por isso, não se armem em parvos com as vírgulas e gralhas que não há cú pra isso.




Sexta-feira, 5 de Novembro de 2010
A pedido de várias famílias...

...fica a informação que a reportagem do retiro de meditação que fiz sai amanhã, na revista Index do jornal I.

 

«Ah e tal, mas depois ficam a saber o teu nome». Certo. Caguei.

 

Enjoy!




Quinta-feira, 4 de Novembro de 2010
Amores perros

Minhas queridas,

 

que noite, a de ontem. O Universo às vezes é fodido mas sabe sempre o que faz. Claro que isto agora vos soa pior, mais ridículo e idiota que a própria hecatombe que, parece, se abateu sobre as vossas vidas. Ainda me lembro da última vez que o o meu coração se derreteu nas mãos de homem que queria «para a vida». Também tive amigos, quando os pedi, e arrendei o seu colo a cada golfada de ar. Para além de amizade, posso oferecer-vos o que tenho de melhor nestes dias. A minha presença silenciosa. Faz parte. Quando alguém que amamos decide mudar a bússola e não nos coloca em nenhum dos pontos cardeais, resta-nos o silêncio. Não o silêncio digno das bem aventuradas, mas o silêncio sofrido e doído das que, tendo coração, ficaram sem ele. Pelo menos, assim parece.

 

Dizer-vos que vêm aí dias melhores, não ajuda. Há sempre aquele gosto de fim de linha, que se mistura com as perguntas sem resposta, que nos obnubila o pensar e nos deixa apáticas, catatónicas. É sempre assim. Temos grandes planos para os outros. Neste caso, o plano de que a pessoa a quem entregamos o viver amoroso, e às vezes mais que isso, nos ame para sempre, sem percebermos que o «para sempre» só existe nas músicas foleiras de elevador. Nada é para sempre. Nem nós mesmas somos para sempre. Mas enquanto vivemos e alimentamos essa bolha, esquecemo-nos, tantas vezes, de nos alimentar a nós. Foi o vosso caso. Alargaram o vosso limiar de dor numa relação a dois e aceitaram que ele vos fosse transformando, insidiosamente, numa outra pessoa. Indesculpável, para quem partilha paredes connosco e que, paulatinamente, vai deixando de gostar sem nunca manifestar grande coisa a respeito.

 

Porque há homens assim. Mergulhados em culpa cristã e viciados em palavras bonitas que embrulham quotidianos falsos. Mas eles não importam, minhas queridas. O que importa são vocês. Chorem, berrem, gritem, durmam, durmam muito. Morram, nasçam e voltem. Porque quando o fizerem, vão perceber que o mundo vai continuar a girar e nós vamos continuar aqui. A girar convosco também.

 

 




 
livro

livro
Sex Bomb - O terceiro livro Download gratuito

livro

livro

livro Correio da Princesa
jukebox
Jazzanova - No Use

videos



arquivos

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

subscrever rss

badge