Quinta-feira, 30 de Setembro de 2010
Sissi Responde is back!

Uma das belezas deste blog tem a ver com a quantidade de mails que recebo de pessoas que confiam o suficiente para me colocarem nas mãos medos e questões que as atormentam. Assim sendo, decidi reabrir o consultório: Sissi Responde is back. Mandem mail para o Correio da Princesa, aqui mesmo ao lado. Anonimato garantido, sinceridade e generosidade confirmadas.

 

Até lá, e depois de dias a debater-me com uma história que me chegou, fiquem-se com esta pérola de sabedoria:

 

Se vos parecer que o objecto do vosso desejo não vos deseja da mesma maneira, em toda a probabilidade, é porque não deseja mesmo.

 




Quarta-feira, 29 de Setembro de 2010
Quem quer entrar no vídeo da Obra meta o dedo no ar!

Estava eu em momentos de júbilo alimentar, sentada na minha poltrona nova a degustar umas tostas com um Pienza Pecorino que acompanhei com um Margaux, quando tive uma ideia do caralhão. Ora bem, sucede o seguinte: como vos disse, os vídeos de promoção do novo livro vão começar a andar por aí. Um deles terá dois protagonistas que vocês talvez conheçam - numa narrativa de bradar aos céus... - e os outros serão feitos integralmente pelos meus amigos, que vão retirar do seu precioso tempo para ler para a câmara partes da Obra.

 

Ora o que é que eu pensei - já depois de ter mamado as iguarias supracitadas e já a preparar-me para enfardar uns biscoitinhos Bacci de Dama, com os quais me venho aos baldes - pensei que giro, giro era se vocês quisesses igualmente participar. Afinal de contas, a Obra é feita pelas quase 700 pessoas que responderam ao quizz. Sem vocês, grelame e machame do meu coração, a Obra não existia. Para o bem e para o mal. Assim sendo, em querendo fazer parte desta grande rambóia, enviem mail que encontraremos forma de a coisa se dar. O que ganham com isto? Um livro. É mau? Não. Porque vai ser do caralhão.

 

Maneiras que é isto. Mail, aparecer, divertir e esperar pelo resultado final.

Sou uma Princesa tão fixe que só me apetece dar beijos a mim mesma.

 

 




Segunda-feira, 27 de Setembro de 2010
Carta aberta ao meu velho amor

Caro Sporting,

 

acho que desta é de vez. Depois da forma como te tens comportado nos últimos anos não me resta mais do que olhar-te nos olhos e dizer-te adeus. E escusas de vociferar. Já nem o teu rugido se ouve. Estás de quatro e ainda não percebeste. Já todos te gozam. Até os labregos do Benfica, filisteus desportivos, gentalha do garrafão e da bifana, até esses te olham sobranceiros, da margem sul da segunda circular, e se riem de ti.

Empate com o Nacional? Numa noite já fria em que nem o suposto aconchego do camarote barrica o gelo que se sente a cada golo adversário? Só podes estar a gozar comigo. Eu, tua adepta dedicada, sócia há 36 anos feitos há dias, que, durante anos, fiz do falecido estádio de Alvalade a minha casa, quer por via profissional, quer desportiva, que ganhei medalhas em teu nome, que escrevi os primeiros artigos nas já amarelas páginas do Jornal Sporting, que engatei, com sucesso, o meu primeiro jogador da bola à porta da 10A, TU AGORA FAZES-ME ESTA MERDA, CARALHO?

 

Esquece-me. Fartei-me. Não, não, não há outro clube. Deixo-te as chaves do camarote nas meninas que estão à entrada. E já agora, diz-lhes que elas não sabem temperar um sumo de tomate comme il faut. But then again, comme il faut é qualquer coisa que há muito já te abandonou.

 

Esforço, dedicação e devoção tem um certo na minha lista. A ti, bastava-te a glória. Domage. Pode ser que para o ano lá volte. Ou não. A ver.




Sexta-feira, 24 de Setembro de 2010
Cá merdas minhas

Dentre as muitas qualidades que me integram, a paciência nunca foi uma delas. Saber esperar é uma arte secreta que, na minha cabeça, sempre esteve guardada para os outros. Os que, dir-se-ia pelo estoicismo com que aguardam a vida, sabem coisas que eu desconheço, segredos que a minha cartilha não viu impressa. Ser paciente é ter confiança. Em si mesmo, nos outros, no Universo. Mas é, sobretudo, conseguir perceber que só o tempo torna tudo mais claro, daquela claridade que nos faz, subitamente, dar passos em frente com a certeza da mudança de luas e diferença de marés.

 

As relações, sejam elas quais forem, precisam de tempo. Nós todos precisamos de tempo uns com os outros. O próprio tempo precisa de calma no seu vogar e de não ser apressado. Parece-me pacífico e consensual. Assim sendo, porque raio, d'un coup, mergulhamos em histórias mal contadas, mal paridas e, no final, tão mal vividas? Como diz a canção: «first we take Manhattan, then we take Berlin». Mas não. Primeiro tomamo-nos de assalto, ao reclamar para nós a vivência das falácias que aprendemos a ouvir, e depois tomamos os outros de assalto, com as consequências que essas ideias pré-concebidas acarretam.

 

Exemplo? Simples. As metades da laranja. A pessoa que completa. O outro que é «tapa buracos». Os filmes e as músicas que ouvimos fodem-nos muito a cabeça. Estou por descobrir as letras que dizem: «o outro não é fita isolante». «O outro não tem culpa da minha falta de pai e mãe». «O outro existe por si só, respira sozinha e anda pelo seu pé. Ah, e já agora, eutambém.» Não me convencem com esta coisa do amor mágico. O que me obriga a desaparecer na pessoa com quem vivo para ser uma metade. Que caralho é isso? Eu sou inteira. E procuro um inteiro. Sou das que constrói e que adiciona. Na minha tabuada, um mais um serão sempre dois. Dois.




Quarta-feira, 22 de Setembro de 2010
Agradecimentos e mais qualquer coisita

Esta Princesa agradece, dos fundilhos do seu coração, todos os comments e mails de aniversário e ainda a ajuda prestada e que foi providencial para clarificar o Tico e o Teco, animais de estimação reais.

36 anos. Foda-se, caralho. Onde se esconderam os restantes lustros? Onde é que eu estava quando cheguei aqui, ao dia depois dos 36? Caralho. 36 bem vividos, bem fumados e regados, bem fodidos, mal amados. Mal amados. Ainda assim, tenho história, tenho vida e sou a melhor pessoa que conheço. Não porque seja boazinha, mas precisamente porque sou boazona. Por dentro e por fora. Por isso, meu amores, se quiserem continuar, enjoy the ride. Se não, foi um prazer. Não sei o que aí vem, só sei que é diferente do que já foi.

 

Para já, livro novo em Novembro. Os vídeos promo do bicho vão andar a rodar e a capa já vai poder ser vista. O conteúdo, aquele a que muitos (imensos) de vocês deram corpo, será apresentado, em bebício&fumício de alto gabarito, daqui a uns dois meses. Conto convosco para o feliz evento.

 

Entretanto, há novo blog no pasto, de uma mulher que eu adoro e que é uma caixinha de Pandora. Nasceu hoje.




Terça-feira, 21 de Setembro de 2010
36

Oh! Queres ver? Queres ver? Queres ver que faço anos? E faço mesmo!

 

36 anos, corpinho de 22 e cabecinha de 15. Comme il faut.

 

 

Let the adoring begin!




Domingo, 19 de Setembro de 2010
A Princesa precisa de ajuda.

Pois é, caríssimos. Chegou o dia em que vos peço ajuda. E porquê? Porque esta Princesa que vos fala está na Idade dos Porquês e vive dias em que tudo está em causa. Ou quase tudo. Vai daí, e porque a necessidade de compilar estes anos de escrita numa peça de teatro assim o obriga, procuro o «porquê?» do Palácio. Fez seis anos há poucos dias e, confesso, já não me lembro o que me fez abrir-lhe a porta e muito menos entendo o que me faz deixá-la aberta. Na verdade, porque escrevo? O que tenho para dizer ao mundo? Qual é o meu «porquê?». Não sei. E por isso vos peço ajuda.

Assim sendo, gostava assim mesmo cómó caralho que me dissessem porque razão aqui vêm, do que gostam, do que não gostam, no fundo, o que vos faz vir aqui e, nesses minutos, não estarem a ler outro blog qualquer. Qual é o unique selling point desta xafarica? E atenção: eu não estou à procura de elogios. Digam o que quiserem, da forma mais assertiva que conseguirem. Se não quiserem comentar aqui mandem mail para princesa-sissi@sapo.pt. Vão estar a ajudar-me bastante a encontrar um motivo para tudo isto.

Obrigada. De coração.




Sexta-feira, 17 de Setembro de 2010
Are we?

Agora que estou de sabática e, por isso, mais do que apta a demorar-me sobre este esfusiante mundo blogosférico, tenho lido, com gosto, atenção, noveis blogs que me encantam e deliciam. Já aqui dei conta de alguns e continuarei. A blogosfera é como tudo. Com o tempo muda, novas pessoas vão escrevendo, outras ideias e formatos se vão desenvolvendo e é assim que o mundo pula e avança.

 

O que tive também oportunidade de verificar, e é sobre isso que me apetece elucubrar hoje, é na quantidade e qualidade dos comentadores. Não sei se devido ao facto de ultimamente ter de lidar com essa casta mais do que o costume, a verdade é que há pessoas que me fascinam pela pouca qualidade humana. E não falo apenas dos haters do costume, essa maltosa que se dedica com afinco a destruir o que os outros, mal ou bem, constroem. Falo também dos groupies de serviço, aqueles que perante um bufa mal parida do seu blogger de eleição, se apressam a largar «vivas» e «muito bom!» de forma tão eloquente e incisiva que, dir-se-ia, festejavam a cura do cancro.

 

Mas os mais engraçados são os que, sendo comentadores verrinosos, sempre prontos a trespassar o sabre pelos textos e vidas alheias, decidem criar o seu próprio blog e se tornam, rapidamente, fiéis depositários do seu próprio veneno. Porque as ervas daninhas, como se sabem nascem em todo o lado. É vê-los a defender-se, que as pessoas são isto e aquilo, que horror, carcará sanguinólento, numa amnésia apenas ligeiramente menor que o tamanho da maldade com que até aí brindaram os outros.

 

E reparem, eu sou uma life coach na minha vida real. Não me comprazo com a desgraça alheia, nem mesmo com a destes biltres. Mas questiono-me, com algum fervor, o que leva algumas pessoas a retirar do seu tempo de vida para escarrar para cima dos outros. E não me interessam as invejas, o não ter nada que fazer e outras razões comezinhas que tais. Interessa-me ir mais fundo. Estaremos mesmo rodeados de gente com mau fundo, sociopatas desta blogosfera que de pátio interior se tornou em planície alentejana?

 

 




Terça-feira, 14 de Setembro de 2010
Minetes&Broches

Ora bem, ia eu postar aqui uma merda de arrebimbó malho, meio sangrenta meio envergonhada com a forma e conteúdo deste filmezeco aqui em baixo...

 

 
...quando este grande querido, a quem eu matava de tanto o foder, conseguiu dizer, com graça, tudo o que penso a respeito deste assunto.
Meninas, não carecia este enxovalho. We had it coming. Literalmente.



Segunda-feira, 6 de Setembro de 2010
Happy B'day Boy!

Parabéns ao SAPO, que faz hoje 15 anos, e permite que este palácio esteja sempre operacional.

 

Parabéns querida Jonas, que mudaste a homepage da blogosfera portuguesa. Brava!

 

Parabéns às duas designers que trabalharam neste e no outro template do meu site.

 

Parabéns a tudo e a todos. Que me estou cagando para os maus fígados que aqui vêm vazar entulho.

 

Hoje é dia de festa!

Kudos to you all!

 




 
livro

livro
Sex Bomb - O terceiro livro Download gratuito

livro

livro

livro Correio da Princesa
jukebox
Jazzanova - No Use

videos



arquivos

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

subscrever rss

badge