Quarta-feira, 31 de Outubro de 2007
Sissi na FHM - Sinais de fumo

No maravilhoso mundo da interacção das espécies, homem e mulher reclamam para si caminhos diferentes. Eles pela esquerda, nós pela direita. Eles água, nós vinho. Um por todos e todos pelo engate. Como em quase tudo, o grelame é mais sinuoso, dá voltas mais complicadas e aplica-se na caça com dedicação. O machame, objecto da caça, não raras vezes é o último a saber que vai ser refeição na cama de alguém. Assim sendo, como distinguir uma aproximação inocente de um afiar de dente matreiro? Sissi explica.

 

Do ponto de vista macho, nós mulheres somos demasiado subtis e indirectas. Quando queremos dizer preto, dizemos negro. Quando atingimos o vermelho pensamos encarnado. E quando apontamos na direcção de alguém que nos agrade, olhamos para o lado e fingimos que não o conhecemos. Obviamente que o machame, já de si não muito versado nestas coisas do mundo feminino, faz aquilo que qualquer pessoa faria: na dúvida, fica quieto. Mas Sissi, adepta do amor livre, não quer que sejam coisas pequenas como estas a colocar areia na engrenagem e impedir quecas das boas. Como tal, aqui vão dicas preciosas (como sempre) para que os machos fiquem, definitivamente, a saber como compreender uma fêmea interessada.

Há coisas fantásticas não há?

(piadola ao facto da capa da FHM ser a menina da TV Cabo)




Segunda-feira, 29 de Outubro de 2007
Sissi foi «nuninandar» no Nuno&Nando da Antena 3

Esqueci-me de avisar que Sissi esteve no grandioso programa radialista de Nuno Markl e Fernando Alvim, de sua graça, Nuno&Nando. Foi uma caturreira! Aliás, para além do dois grandes queridos, esteve também presente o Fernando dos Moonspell, outro grande querido.

 

Em querendo ouvir as sandices que lá foram ditas, diz que o melhor é ir ao site da Antena 3 e está lá tudo. Em streaming. Coisa que me parece séria mas que não faço a mais pálida ideia o que seja. Mas dá para ouvir, é o que interessa.

 

Nesse dito programa, afirmei com veemência que o meu sonho era ser iniciadora de rapazes. Confere. Mas agora não há tempo. Amanhã teremos tudo a esse propósito.

 

 




Quinta-feira, 25 de Outubro de 2007
I wish

Depois de foder quem não gostava, quem não me interessava, quem me aborrecia e quem não me satisfazia, eis que Sissi chega ao pleno da sua existência real e reclama para si cromo novo: apetece-me foder quem não devo.

 

Mais um bocadinho e começo com desejos de me amantizar com o Macaco Adriano.

 

«Estou sim? É um taxi para o Miguel Bombarda, for favor»




Segunda-feira, 22 de Outubro de 2007
(silêncio)

Falar ou não falar, eis a questão.

 

Quando gostamos de alguém, mas não o suficiente para ser visita de casa, quando simpatizamos com a figura porém não a escolhemos para presença em ocasiões importantes, quando, na realidade, gostamos do seu corpo e da forma como ele se equilibra entre os lençóis e a casa de banho mas não permitimos que ele passe a porta da sala de estar, que fazer? Informamos, à partida, que há divisões da nossa estante emocional que estão vedadas aos grandes e intrincados clássicos, ou assumimos que sempre gostámos de Thomas Mann, mentindo com a cabeça e dizendo a verdade com as papilas gustativas?

 

Exercícios de estilo à parte, dizemos ao tipo que «gostamos, mas...» ou proferimos um  «mas, gostamos...», quando na realidade o queremos foder e não gostaríamos que ele se fosse embora só porque tudo o que nos apetece fazer no momento não se inscreve no mais nobre dos sentimentos?

 

Há dias assim. Só coisas que chateiam e aborrecem...

 

 




Quinta-feira, 18 de Outubro de 2007
The Office

Sissi rendeu-se à beleza da classe operária e agora trabalha num escritório. Muitos anos depois volto a cheirar o mofo dos classificadores, aka dossiers, e a gritar, minuto a minuto, que a internet não funciona. E gosto. Sinto-me «one of the girls» e ter um poiso de trabalho permite-me observar, demoradamente, a interacção gajame/grelame em todo o seu esplendor. A primeira conclusão a retirar é básica: não há melhor sítio de engate que o escritório.

 

A ver se em breve desenvolvo o tópico, já que, até ao momento, a única coisa que consegui desenvolver foi trabalho. Por falar nisso, continuo sem saber o que raio é apetecer foder. Porém, sinto-o.




Quarta-feira, 10 de Outubro de 2007
Ju(l)go

O jugo do sexo é tão pernicioso quanto o jugo de outra coisa qualquer. Quando aperta o garrote da vontade, esse híbrido ubervalorizado, tornamo-nos, rapidamente, reféns de qualquer coisa que não reconhecemos como palpável. Que raio é ter vontade de foder? De que falamos exactamente quando dizemos «apetece-me foder»? Coloco-me a questão há anos porque não tendo uma personalidade aditiva, deparo-me com esta vontade de tudo e de nada que não identifico como real. Sinto-me a serva da gleba dos conceitos de livros da especialidade.

Será que me falta o beijo? A cópula? Seja o que for o melhor é entrar em detox.




Quinta-feira, 4 de Outubro de 2007
Sissi na FHM - dirty talking

Ter sexo é, antes de mais, comunicar com o corpo. Mas muitos há para quem as palavras pesam no desejo como lastro para um orgasmo profundo e intenso. Como se as letras e as frases catalizassem vontades e tesões várias em verborreia proibida e jargão próprio.No entanto, se é assim tão prazeroso, porque razão se chama dirty talk? Talvez porque em português a musicalidade seja outra...

 

Aliar a sujidade ao sexo só pode ser obra da Obra judaico-cristã e da alimária que inventou esta expressão. E mesmo que essas duas palavras coladas à higiene da coisa não tenham género, ou seja, são usadas no menino e na menina, nas mulheres a coisa pesa, pelo menos assim pensam ainda muito homens. Como se um «fode-me» sussurrado levemente por uma voz feminina não fizesse ressuscitar desejos e enterrar preconceitos. Como se a manifestação de vontades não fosse, por si só, àlcool etílico em fogueira. Especialmente porque esta dirty talk tem um código e tempo muito próprios, acoplados a um momento que ora se aguarda com expectativa ora se gera por iniciativa. Neste muito particular, as mulheres ainda amocham perante o jugo das ideias feitas. Mas como Sissi cá está para lhes dar a volta, eis que esta mês eu e a Bíblia decidimos orientar este Salmo todinho para elas. Prestem atenção minhas queridas. Sissi ensina a arte de mal falar como uma verdadeira lady, a asneirar como se pronunciassem os contornos da mais bela rosa e a fazer tresmalhar o seminarista mais convicto.

E na capa diz que há morangos.

Enjoy!




 
livro

livro
Sex Bomb - O terceiro livro Download gratuito

livro

livro

livro Correio da Princesa
jukebox
Jazzanova - No Use

videos



arquivos

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

subscrever rss

badge