Quinta-feira, 28 de Outubro de 2004
Houston we have a problem!
Este vossa serva está em êxtase e sem grande capacidade para escrever. O estertor emocional bloqueou-me o teclado mental e não há nada que me saia que não seja cheesy ou piroso. Como tenho uma imagem a manter, que isto de ser Imperatriz obriga a esforços sobre-humanos, não me arrisco a escrever nem mais uma linha enquanto o Parkinson du coeur me usurpar a sanidade. Prometo voltar em breve para não defraudar o meu único leitor.
Até lá, fiquem-se com o Mocky no Lux. Próxima sexta. Um must see.


publicado por sissi às 03:15 | link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 18 de Outubro de 2004
Hellas!
Este blog esta na Grecia.
Este teclado nao tem acentos.
Este blog voltara ao servico a partir da proxima semana.

Ate la, saudacoes atenienses.


publicado por sissi às 21:58 | link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 6 de Outubro de 2004
JC-B Dixit #1
O Cenas de Gaja arroga-se a ser o único blog cuja nomeclatura se encaixa neste piqueno anedotário, levado a cabo por José Castel-Branco, o mais parecido com um «excêntrico» que temos cá pelo burgo. Sempre que pertinente, ou seja várias vezes por dia, o Cenas vai tentar mostrar o que se passa na vida dessa personagem tão histriónica, que de tão rica merece o lugar de destaque por aqui. Desde que soube que o Santana Lopes seria primeiro ministro que não me ria tanto com a televisão. Bendita seja!
«- Eu? No curral da porca? Não posso, ainda apanho toxoplasmose...»



Isn´t he lovely?
Depois de ter desistido de lutar contra a insónia provocada pela matiné de sono, agarrei-me à televisão como se não houvesse amanhã. Já tinha visto a Quinta das Celebridades, duas vezes, e , como tal, rido a bom rir... A série dos médicos na SIC Gaija já tinha acabado e estava a entrar em delirium tremens por ter estado a ver pela terceira vez o episódio da Judge Amy, quando inicia esse grande programa, «Oprah», dessa não menos grande senhora, posso mesmo dizer a nova Amália da Tv americana, Oprah Winfrey. Já preparadinha que estava para me fustigar com o drama, a tragédia, o horror que as Tv's insistem em levar-nos a casa, quando me apercebo que o programa de ontem era sobre o Mestre (não, não estou a falar do Almodôvar, mas do Mestre dos Mestres): Stevie Wonder.
Com a décalage que se impõe a grelhas de programação terceiro-mundistas, como é o caso da SIC Gaija, o Master estava na Oprah (pensem o que quiserem...) para lançar, em exclusivo, o seu último álbum, A Time do Love, que na «vida real», saíu há uns bons meses...
Seja como for, Stevie Wonder é o máior, é o Master e músico mais brilhante de todos os tempos. Para além de tocar todos os instrumentos da sua banda (ao vivo toca apenas piano, mas nas gravações toca todos os instrumentos, dah!), mantém ainda a voz cristalina e um funk que só vislumbramos, amiúde, nesta nova geração de RnB's, por ele claramente influenciados. A juntar à sua genialidade técnica e vocal, o Master é ainda dotado de um sentido de humor invulgar e de uma espiritualidade muito sui generis.
Thanx Stevie!



E se...?
E se me espalho? E se o miúdo leva a mal? E se por ter 19 anos me vê como «tia» e não como mulher? Faço alguma coisa? Dou a entender? E como faço isso sem que ele pense que sou tarada? Afinal de contas, com 1.80 e um corpo daqueles parece tudo menos teenager, mas e se ele achar que sou velha demais? Merda! E agora? E se ele beija mal? E se o sexo for mau? Como saio de lá with no harm done? Será que é envergonhado? Será que me vou acabrunhar?

Bolas!!!! Será que os miúdos agora são todos assim? Será que é normal que um miúdo de 19 anos tenha assim tanta rodagem? Deveria ter gostado? Deveria ter gostado tanto...? Deveria querer mais? E agora? Como é que vou olhar para a mãe dele? Como é que vou poder dizer que «o Joãozinho está tão grande» sem que o sufixo «inho» me soe a hipocrisia e pura taradice sexual? Como fazê-lo sem que os meus lábios se unam e abram em forma de um sorriso que só a luxúria provoca?Estarei a ensandecer porque tive sexo com um miúdo de 19 anos? Será que o facto de já estar no Ciclo Preparatório quando ele nasceu deveria fazer-me pensar?

«Estou? Joãozinho? Olá... O que faço hoje? Nada...às nove está bem para mim sim...Até logo...»



Sexta-feira, 1 de Outubro de 2004
Oye Tío, que cojones hombre!
O vernáculo não é por acaso e o castelhano muito menos. Fui ontem ver a mais nova obra prima do mestre Almodôvar (que muitos confundiram com a prima do mestre de obras...), e, mais uma, vez saí estarrecida do cinema.
O Mestre é o realizador mais surpreendente desta nouvelle vague do cinema-realidade. E isto porque quando acho que ele já não podia fazer melhor, eis que surge com novo filme, mais fantástico que o anterior, ainda que com o mesmo registo e universo.
Depois de Tudo Sobre Mí Madre, pensei que dificilmente conseguiria fazer um outro que o igualasse. Foi um filme de uma beleza rara. Com Hable Con Ella, repetiu a dose, e foi ainda mais longe no pormenor da realização. Com La Mála Educación foi para lá daquilo que eu, já sugestionada pela espiral ascendente, alguma vez pensei.
Só um esteta como o Mestre, só alguém de muito bom gosto como ele consegue pegar em temáticas tão fortes (morte de um filho, violação, homossexualidade, pedofilia, you name it) envolvê-las em papel kitsch e mostrá-las em papel seda. A este novo filme, trouxe um input técnico que potencia os pormenores, muitas vezes sórdidos, de uma história que de ficção tem muito pouco. A luz, e a falta dela, que garantem o dramatismo das cenas e a montagem sem mácula, são as áreas mais trabalhadas relativamente aos filmes anteriores.
Falar neste filme é não poder deixar de referir o incontornável Gaél Garcia Bernal, mexicano, lindo e irrepreensível num personagem muito bem construído. Ele e Jean-Paul Gaultier são as novidades do séquito de Almodôvar.
Enfim. Vão ver. Só até amanhã. No Cine 222. A sala cheira a caril e chamuças mas vale a pena.



Six Feet Above
Cenário: Casa Mortuária Fisher& Sons
Protagonistas: Nate Fisher e David Fisher

Nate: I think you should go out with him.
David: How do you know he´s gay?
Nate: I have a gaydar.

Six Feet Under, de Alan Ball, episódio 7


publicado por sissi às 00:59 | link do post | comentar | adicionar aos favoritos

 
livro

livro
Sex Bomb - O terceiro livro Download gratuito

livro

livro

livro Correio da Princesa
jukebox
Jazzanova - No Use

videos



arquivos

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

subscrever rss

badge