Terça-feira, 2 de Dezembro de 2008
Sissi Responde - O Anal e o Verbo

(...) A minha companheira não quer sequer ouvir falar de sexo anal. No entanto, pelo menos já não se zanga comigo quando falo nisso e até esteve a ver comigo o seu blog, acabando um pouco forçadamente por concordar que é bastante divertido (...)

 

Súbdito Devidamente Identificado
 

Estimado Súbdito,

 

pois cá está um assunto de peso, que corre o risco de deixar a sua marca indelével no muro das lamentações sexuais. Para início de conversa, devo dizer que depois do post Levar no cú é caro, onde abordei a questão pela primeira vez, já muito água passou por debaixo desta ponte. Com efeito, levar no cú não é, para mim, a melhor coisinha do mundo. Não é a pior, mas dada a vastidão do universo sexual prefiro não me deter num exercício abaixo dos mínimos olímpicos. Adiante.

 

Se a sua companheira já não quer ouvir falar de sexo anal, das duas uma: ou você exagerou na dose verborreica recomendada para estes casos, deixando a sua pila falar por si, ou então teve uma má experiência que a levou a mandar o conceito e o acto para as calendas. Seja qual for a resposta certa, acho que já percebeu que precisa de parar, de não insistir no verbo, sob pena de ela se chatear à séria e lhe vetal o sexo, tout court.

 

O que lhe pode dizer, assim para fecho de conversa, é que o sexo anal implica uma disponibilidade e, sobretudo, uma intimidade que não se encontram juntas com frequência. Além disso, é um acto que implica, para iniciados, uma progressão, um caminho, uma aprendizagem conjunta. O ânus é um músculo repleto de terminações nervosas que, bem tocadas, dão um prazer imenso. Porém, quando mal manuseadas, provocam um desconforto e uma sensação de algo contra-natura.

 

Em suma, feche a boquinha e mostre-lhe, ao invés, os prazeres dos preliminares anais, como a língua e o dedo. O mais importante é que ela esteja relaxada. Só assim o desconforto dá lugar ao prazer.

 

 

 

 

Disclaimer: Este consultório não é profissional, como imaginam. Aqui não se resolvem problemas, conversam-se. O que terá apenas a importância que cada um de nós lhe der. As questões serão respondidas por ordem de chegada, todas as quintas-feiras. Missivas para aqui: princesa-sissi@sapo.pt

 

 



publicado por sissi às 10:01 | link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Comentários:
De joão ratão a 2 de Dezembro de 2008 às 23:20
"... implica uma disponibilidade e, sobretudo, uma intimidade ..."

Altezíssima, discordo... E pergunto qual o grau de intimidade? Aquele "podes brincar comigo como quiseres"? Que pode ser revelado logo no desenrolar do 1º 'jogo'?


De ... a menina... a 3 de Dezembro de 2008 às 12:58
... pois eu ao contrário do Sr. João Ratão, concordo plenamente com a Sissi.
Efectivamente há que haver uma intimidade plena para que a pessoa se sinta à vontade para praticar tal tipo de sexo, ao mesmo tempo há que lhe juntar uma pitada de disponibilidade... porque por vezes a intimidade existe, mas sem se estar "disponível para", torna-se difícil pôr isso em prática.
Eu acrescentaria à intimidade e disponibilidade outro factor que me parece de extrema importância... a confiança na pessoa. A confiança no desempenho, porque esse tipo de sexo requere o dito "saber fazer" e "saber fazer bem feito". Se uma mulher se entrega a esse tipo de sexo é porque confia plenamente no seu parceiro e no seu desempenho de olhos fechados... falo por mim, claro.

Bjs... e experimentem, não custa assim tanto (Lol)


De caetana a 3 de Dezembro de 2008 às 15:08
Que bom ter encontrado este blog...Ando tentada a experimentar .leia-se anda a tentar-me.Cada vez me convenço mais, que é uma pratica fetiche masculina.
Mas o que é certo, é q ando a tentar obter informação sobre o assunto.Tenho de amadurecer a ideia, além disso como ele é bem mais experiente que eu.Não quero fazê-lo e ser uma merda.
Uma gaja, gosta sempre de não ficar "mal vista".Prefiro q ele me ache "menina" a achar q sou uma merda.Percebem, o q quero dizer?


De Capitão Microondas a 3 de Dezembro de 2008 às 23:41
eu cá percebo mas olhe que, sem cavalheirismos da treta até porque não tenho nunca problemas em apontar o dedo a uma má fodilhona lhe digo que nesse particular, sendo obviamente necessário que você tenha a presença de espírito necessária a que seja uma foda agradável, a qualidade do momento depende muito mais dele do que de si. Você só tem de dar o dito. Ele sim, tem de ser um artista, ir com calma, puxar por si, e se a souber fazer como deve ser passado umas vezes já você está montada em cima dele como se fosse o rodeo das caldas mesmo com o tubo de water jelly nas últimas.
ps - pardon my french mas de qq forma quem tem de ser fofinho consigo é ele, eu não, estou apenas a dar um parecer técnico.


De Rui Villas a 3 de Dezembro de 2008 às 16:48
A fustigação da cavidade anal, para ser prazerosa, necessita sempre de preliminares. A parceira tem de o querer ou pelo menos esperar que tal aconteça e em nenhuma ocasião ser surpreendida por um encaixe bruto do membro em áreas além-trís. (salvo, evidentemente, em práticas sexuais sado-maso, tornando o "nunca" apenas aplicável à prática sexual dita normal... mas espera, normal é .... já vi que entenderam!) Assim, a preparação da flôr de oríba, deverá ser feita de forma indicativa não pressionante. Deverá ser evidenciada a vontade mas não demonstrar desinteresse das outras cavidades fodengas.

A prática propriamente dita exige alguma mestria. De facto, não queremos começar uma prática de objectivos nobres com dôr. Terá de haver alguma calma na penetração inicial do marsápio para que se possa, logo desde o inicio, fornecer uma boa dose de confiança (como quem diz: "estás a ver que não dói nada" OU "estavas doidinha que te partisse a anilha") Além disso, quando é desejado pela parceira (e não apenas cedência de espaço), esta pode ter um orgasmo muito diferente do normal e quiçá, atingir um nível diferente de prazer sexual!

PS: Ainda não sabem o que é o trís?


De m a 3 de Dezembro de 2008 às 18:30
caro súbdito,
não pressione a sua companheira, de certeza que não gosta de ser pressionado sobre outro assunto qualquer, digo eu... :)
sexo anal tem que ser muito desejado, para que seja fantástico. Se já experimentou deve saber. dê tempo e ela pode mudar de ideias, ou não....


De Capitão Microondas a 3 de Dezembro de 2008 às 23:36
Ao pobre leitor desconsolado deixo a sugestão que já aqui uma vez deixei: o melhor que faz não é pedir, espernar, escrever ao pai natal. O melhor que faz é descobrir uma amiga dela que já tenha experimentado e lhe recomende isso. Vale por 30 pedidos seus. É triste mas é verdade. Se nem assim pode sempre dizer o que é mais que justificável: "o que não tenho em casa vou comprar fora". Se mesmo assim nada funcionar pode sempre comer a amiga aficionada pela pega de cernelha e ficam todos bem: você saciado, a amiga consolada e a sua mais que tudo em paz, fazendo crochet e vendo o "anjo na terra" de xaile aos ombros.


De 26 a 4 de Dezembro de 2008 às 17:35
Carissimos,
Devo dizer que isto é coisa que ninguém pode falar por ninguem porque depende tanto do desempenho de um como do outro! Falo por mim: se ele fizer um excelente trabalho nos preliminares quem lhe quer dar o...sexo anal sou eu!!! porque depois de estar toda doida, eu só kero é que ele me f...faça de tudo e de qualquer maneira!

Atenciosamente.


De Anónimo a 4 de Dezembro de 2008 às 22:53
Ena, que comentários instrutivos inspirou o meu lamento!
Caríssima 26, caso seuja sua vontade, deixe-me o seu e-mail e trocamos umas impressões sobre o assunto, que quando umas não querem estão outras morrendo (é universal). Se não o quiser, tudo bem, já me inspirou o bastante com toda essa tusa, nem que seja para esgalhar um pessegueiro - nada de errado, trata-se apenas de fazer sexo com alguém que prezo muito (o tio Woody Allen)


De 26 anos a 9 de Dezembro de 2008 às 10:36
Carissimo a mim o seu comentário deu vontade de rir!
Fico contente por lhe ter dado tamanho prazer mas lamento informa-lo que tera de continuar a..."esgalhar um pessegueiro"!!!
Não sendo o caso de ter mencionado no meu comentário que teria falta de parceiro, informo que fosse esse o caso, não o procuraria decerto no desespero da internet! Ainda assim desejo-lhe boa sorte na sua busca! :)))


De Anónimo a 9 de Dezembro de 2008 às 23:06
Concordo com o que diz. Na internet há decerto muito desepero ou, pelo menos, muitas carências afectivas e outras.
Também não vou ao ponto de esgalhar pessegueiros com realidades virtuais. Gosto da coisa olhos nos olhos, como gosto de ter a minha coisa num olho saboroso, mas também não me faz sentido procurá-lo aqui. Aqui procuro divertir-me, e a coisa resulta sempre, quer pelo que escreve a autora quer pelos comentários... Fique bem e estime quem for capaz de bem a estimar, sob todos os pontos de vista. E voltamos nós ao olho...


De 26 anos a 10 de Dezembro de 2008 às 15:42
:)


De joão ratão a 8 de Dezembro de 2008 às 21:40
Lembrei-me duma mto engraçada: "estou com o cu estranho", disse ela depois, largando peidos enquanto caminhava...


De Joao Cacao a 11 de Janeiro de 2009 às 03:24
caros amigos,
após ler tamanha ferocidade nos comentários, e depois de óbvias gargalhadas, decidi deixar o meu testemunho, numa tentativa de repor o debate sobre este tema tão fascinante, de volta à pergunta feita por quem infelizmente ainda não soube metê-lo.....deixem-se de engates e vamos lá falar do que preocupa este rapaz..... isto é anal.... e não anal..gésico.... nao adormeçam o foco, portanto...metei-lo no sitio... ao tema claro!

caro amigo insatisfeito...
ja antes havia lido muito boas sugestões e em cativante português, (desde já os meus agradecimentos) de como proporcionar à sua parceira um tour pela saga Guerra das Estrelas sem ligar o DVD...
Tudo o que pensar que a sua companheira não pensa sobre este assunto....está errado!
A sua parceira, mais construtivamente do que certamente o meu amigo, andará a informar-se, junto de quem lhe é mais fiél, obviamente, o Porquê desta panca que lhe assombra as noites no recanto do seu lar e o Porquê de tanta insistência de sua parte em explorar aquele que era o seu orificio mais privado e de despojo nunca de admissão e que apenas havia sido explorado na forma desejada agora, por pequenos projécteis brancos de paracetamol ou algo parecido que a valha....
Não ha nada como quebrar o gelo com a sua companheira e falar abertamente do que a assusta.... surpreendido ficará concerteza com o que ela realmente pensa... verá que tudo o que o meu amigo estava tão seguro saber, passou agora para o plano mais descredível possível..
Durante essa conversa tente "cog-nomizar" ou apelidar o dito engole supositorios de algo agradável, curto e objectivo, de preferência maroto, para que sorrisos sejam saboreados quando assim a ele, ao dito, se referirem... conhece a história do lobo mau dizer ao capuchinho vermelho enquanto ela andava a colher cogumelos com uma cestinha no bosque : -" HOJE VOU-TE COMER UMA COISA QUE NUNCA NINGUÉM COMEU" e do capuchinho vermelho responder: -"HHHAEEEMMM...... SÓ SE FOR A CESTA!!"...
pois passe a chamar-lhe, ao desejado, cesta, por exemplo!
e diga-lhe que apesar de não desejar desistir da ideia de lhe comer a "cesta", está disposto a deixá-la comandar a altura... deixe a sentir-se à vontade para o fazer...
apenas refine o seu desejo caso a sua companheira tenha má memória.... relembre-a sempre que praticar o cunillingus... passe por lá, reavive-lhe a memória..
em último caso... mas só mesmo em último caso e se a ocasião for a rejeição por dor de exaqueca por parte da sua companheira, besunte a perna do meio com Paracetamol em pó... diga-lhe que hoje a vai tomar de assalto para o seu próprio bem e para por fim às desconfortáveis enxaquecas!!
uma vez tomada a decisão, deixe-a de novo comandar, sugerindo-lhe apenas que ela trepe para cima de si... deite-se de costas para baixo e deixe ser ela a dosear a tomada... por mais tusa que isto lhe dê, nao invada! se até agora esperou pacientemente não se torne subitamente em Bonaparte..ou César! isto pode fazer retroceder o processo à sua anulação!
E lembre-se... confirme sempre através de um diálogo suave e meigo se está a ser tão confortável para ela como o está a ser para si..enquanto a acaricía... mostre-lhe o quanto está lá para ela quando ela mais precisa..
eu sou completamente apanhado por sexo anal e todas as minhas ex-companheiras me acompanharam na apanha do cogumelo ( segundo o capuchinho vermelho)...e nenhuma se arrepende.(dito pelas próprias)
a minha companheira actual vive a fase da experimentação... ja arranjámos um nome para a "cesta" e até já nos demos à penetração... no entanto ela ainda sente algo estranho... e nunca terminamos o coito dessa forma... mas como tudo o que se estranha...depois entranha-se! eu continuo a demonstrar o meu interesse..
bons progressos caro interessado! esta viagem só tem bilhete de ida! revalide contudo todas as outras sugestões das carícias antes referidas por outros que não eu e preliminares que nao referi por já ser longo o texto..boa sorte Luke Anal Walker



Comentar post

 
livro

livro
Sex Bomb - O terceiro livro Download gratuito

livro

livro

livro Correio da Princesa
jukebox
Jazzanova - No Use

videos



arquivos

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

subscrever rss

badge