Segunda-feira, 20 de Outubro de 2008
Sissi Responde - Eu tenho dois amores

(...)Pois bem, mantive uma relação longa (demasiado!) com um homem, uma relação baseada no sexo, na liberdade, no divertimento e prazer. Era o tipo de homem que eu ligava e dez minutos depois já o tinha ao meu lado. No meu disto tudo, quando cresceu o amor, a gente tentou-se afastar. Acabado este relacionamento/sexo muito, encontrei um homem mais velho uns anitos que eu, com uma pujança sexual de se louvar, mas (e aí é que está o problema) é um louco por mim, demasiado até. Sabe o sonho de homem perfeito que qualquer mulher tem? É ele. O que atura as compras, os dias em que a mulher se sente feia, gorda, e até mesmo quando se está com o TPM ele aguenta. Enfim, uma jóia, e incluindo o sexo que era do melhor. Por vontade dele, começou um semi-namoro que de repente virou namoro sério, e que eu ainda estou para aqui metida e não sei como, e as duas tentativas de final de namoro resultaram muito mal. O pior é q voltei a ter uns telefonemas do meu tão aclamado homem das horas vagas ou para além das horas de expediente, e as saudades de pular a cerca são imensas. Para piorar tudo, o homem perfeito, já como diz o nome, é perfeito demais para arranjar defeitos não me dando motivos para um fim de namoro.
 
Mas diga-me cara Sissi, eu que sou uma adepta da liberdade, das boas quecas quando e com quem me apetece, como me desfaço disto? Em plena faculdade e repleta de gajos tão apelativos e em plena idade de divertimento e com as mesmas necessidades que eu, o que posso fazer para alterar isto?

 
 

Ora aí está uma problemática com a qual me debato amiúde: faço por ter parceiro certo perdendo a certeza de vários parceiros ou continuo de crina ao vento, aproveitando tudo o que a vida tem de melhor? Depois de muito tempo e aturado estudo, só posso concluir que o caminhar se faz caminhando, ou seja, não vale a pena intelectualizar o que só se aprende vivendo. Por partes.

 

Há coisas na sua missiva que me escapam. Ora se tinha uma relação baseada no sexo, no divertimento e na liberdade, e da qual, mais tarde nasceu o amor, afastaram-se porquê? O amor não era em stereo? Fiquei sem entender… Depois encontra macho adulto e pujante, mas diz que é demasiado louco por si. Também não entendo. No meu léxico a palavra «demasiado» nunca se aplica quando a restante frase é «louco por mim». Please, não caia nessa falácia de que os homens não podem estar demasiado babados. Eles não só podem, como devem. O que eles não devem é perder-se no meio de nós, deixar que o que sentem os ofusque como seres pensantes. Isso é que não convém. Mas é deixá-los gostar, em doses cavalares. Está nessa relação não sabe bem como e quer acabar mas não consegue. E porquê? Porque essa pessoa a atura em tudo, fode bem, vai às compras e, pasme-se, não tem defeitos.

 

Ou seja, você é uma grande sortuda! Os dois homens pelos quais pende são de uma casta rara, diria mesmo, do outro mundo. Mas mesmo assim são príncipes que carregam um sapato que não é o seu número. Pergunta-me o que pode fazer para alterar isso? Antes de mais, talvez pudesse perceber, REALMENTE, o que é que gosta num e noutro e, de seguida, aferir se quer o que eles lhe oferecem. Porque, de facto, liberdade todos queremos. Quem não quer ter um significante em casa e vários significados fora? Eu, como lhe disse, partilho do mesmo enunciado. Procuro uma alma caridosa que perceba que o Palácio só tem um lugar cativo, o meu, e que todos os outros são bilhetes de época. Estão enquanto estiverem bem. Se é para estar mal, dramalhões de segunda e birras de quarta classe, andor que a minha cútis não aguenta.

 

Quanto a si, parece-me que há por aí razões encapotadas que a fazem vacilar perante o (aparentemente) seguro e a mandar-se de cabeça para o (aparentemente) inseguro. Não tenho uma resposta concreta para lhe dar. A não ser uma La Palissada das antigas: ninguém é perfeito. Nem o primeiro macho que teve o topete de deixar crescer sentimentos impuros como o amor… Em suma, se não gosta do seu namorado, deixe-o. Deve-o a si mesma e ele. Se decidir voltar on and off com o macho mais novo, faça-o sem o preconceito do afecto. Faça o que fizer, respeite-se. E ENJOY!

 

Disclaimer: Este consultório não é profissional, como imaginam. Aqui não se resolvem problemas, conversam-se. O que terá apenas a importância que cada um de nós lhe der. As questões serão respondidas por ordem de chegada. Missivas para aqui: princesa-sissi@sapo.pt

 



publicado por sissi às 02:05 | link do post | adicionar aos favoritos

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

 
livro

livro
Sex Bomb - O terceiro livro Download gratuito

livro

livro

livro Correio da Princesa
jukebox
Jazzanova - No Use

videos



arquivos

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

subscrever rss

badge