Terça-feira, 4 de Dezembro de 2007
Cock teasing

A condição humana é qualquer coisa que respeito. Mas há condições humanas que não só me enervam até ao caralho mais velho, como exortam em mim a mais total falta de respeito e interesse. Falo, obviamente, do cock teasing.

 

Para os mais prosaicos, cock teasing é a arte da vigarice sexual e, provavelmente, a maior plataforma de entendimento entre grelame e machame. E perguntam vocês: Oh minha Sissi, princesa vivida e sábia, porquê? Porque apesar de munidos de ferramentas diferentes, a motivação e o fim são exactamente os mesmos: enganar. Mostrar que a esquerda é a direita, que o Sol e a Lua são uma e a mesma coisa, que o broche é mau e que o Sporting não é a melhor equipa do mundo. É uma gente que não interessa, portanto.

 

Porém, ser cock teasing não é para todos. Porque nem todos temos essa capacidade de atrair. Na realidade, nem todos temos desenhos e curvas suficientes para encher o olho alheio e essa é a condição certa e primordial para se ser cock teaser. Há os «brinca na areia». Estes são os «brinca pichota». Aqueles que se fazem de «muita malucos», que vão subir e descer o teu Monte Sinai com a destreza de um peregrino em busca das Tábuas da Lei e te levarão ao Olimpo da existência sexual.

 

E quando, finalmente, depois de promessas de minetagem e canzana vária, nos convencem que aquela reencarnação de Nacho Vidal foi a melhor coisinha que aconteceu à existência humana, eis que se retiram, quais virgens envergonhadas ao vislumbre de piça erecta e pronta, num misto de «o que é que a tua língua está a fazer na minha boca?» e «isto já não se pode sair à rua, há gente para tudo, francamente.»

 

Ora bem, a estes grandes queridos e queridas apenas umas palavrinhas, fófinhas, da vossa princesa: pó caralho!

 

O teasing na cama é bom. É óptimo. O teasing que sabemos ser concretizado é igualmente perfeito. O teasing tipo toca e foge, no caso do grelame, acompanhado de uma sonsice enjoativa, desperta em mim sentimentos plebeus. Querer fazer coisas com pessoas que nos intimidam por alguma razão é legítimo. Essa intimidação, e as razões que a trazem, também. O que é, verdadeiramente, insuportável, é o ar com que se lançam inuendos e serendipismos sexuais ocos e sem história, só para podermos obter dos outros substracto para o nosso próprio ego.

 

Foleirote.

 



publicado por sissi às 19:03 | link do post | adicionar aos favoritos

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

 
livro

livro
Sex Bomb - O terceiro livro Download gratuito

livro

livro

livro Correio da Princesa
jukebox
Jazzanova - No Use

videos



arquivos

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

subscrever rss

badge