Segunda-feira, 31 de Janeiro de 2005
Corações ao Alto!
No sábado fui ao Santiago Alquimista ver os Corações de Atum. E gostei. Muito. Sábado marcou ainda a abertura da estação, da minha, já que o meu tempo de contenção e interiorização terminou, para dar lugar a um outro, mais festivaleiro, também ele mais consentâneo com as minhas sinapses emocionais.
De volta ao atum. O Lello Minsk é um tipo interessante. O Manuel João Vieira também. Às vezes gosto dos Irmãos Catita e dos Ena Pá 2000. Mas tenho a impressão que destes Corações vou gostar todos os dias. Tive pena que a varanda do Santiago não fosse mais baixa, mais intimista. Tal como me irritou que as pessoas não tivessem cuidado nem respeito por quem trabalhava em cima do palco e se ouvisse um ruído de fundo dispensável. De qualquer forma, adorei a ambiência jazzística do momento, mesmo que entrecortada pela rima emparelhada das letras de Manuel João Vieira (ou de «um professor de Santarém que se dedicava também ao Import-Export de sabonetes e agora está injustamente preso...»). Se fechasse os olhos por um momento, quase via ali um cantor romântico, um Tony de Matos deste século, por muito que Manuel João o tentasse abafar.
O Manuel João é um virtuoso. Consegue manter-se há anos num registo que se cola a uma minoria pouco quista num país onde o humor não abunda mas vigora a piadola. No meio das frases escatológicas há mensagens bonitas, mesmo quando a figura de Manuel João em palco nos tenta fazer acreditar que aquele não é o seu lugar, ou que é apenas um jeitoso a tentar ganhar a vida. Ele boicota-se, mas se calhar faz parte do «boneco».
Quanto à banda que o acompanha, mais séria, mais contida, achei-a genial. Os arranjos dados a alguns clássicos do jazz que tocaram, denotam um bom gosto e uma elegância que, francamente, não estava à espera de ouvir...Guitarra, contrabaixo, bateria, piano, e quando as imperiais e whiskies permitiam, um banjo ou trompete tocadas, ocasionalmente, pelo mestre Minsk.
Vou estar a tenta às marés deste pescado.


publicado por sissi às 21:32 | link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Comentários:
De Anonymous a 3 de Fevereiro de 2005 às 00:47
eu tb gostava de ter visto.


De goiaoia a 25 de Junho de 2006 às 22:41
[esta página e a minha estavam na mesma folha de uma googalização.
Bom, bom... afinal sempre era hoje. Se num fosse por ali, teria acabado por ser por aqui, mas isto é um aparte...]

A primeira vez que os Corações de Atum tocaram foi na ZDB. Como seria de esperar a casa estava cheia. Os músicos que acompanhavam o Manél eram todos de primeira água. Antes mesmo de começarem já se adivinhava uma delícia. E assim foi, óptimos momentos de Jazz e, apesar do "ganda" maluco do Lello Minsk estar em palco (pois claro) havia todo um hambiente de seriedade implicita. Estavamos perante um novo projecto de ionegável qualidade. Mesmo (e o João Vieira estava a recuperar de uma altura mais complicada, que se tarduzia, nomeadamente, por alguma dificuldade em memorizar as letras todas. MAs o homem é o rei do improviso, e os espectáculo prometia e cumpria. Imaginem a fotografia: o Lello de mão poisada no microfone em suporte, semi cabesbaixo, escutando, os solos, as partes instrumentais, com respeito, com prazer. Num tinha sido à toa que tinham escolhido a Zdb para o dêbut. Era suposto ser uma casa... sei lá, de público interessado?, mais informado?? Com gostos mais... Pois num foi.
Quem num percebia nada daquilo era grande parte do público, alarves que vieram atrás do "Nome", do "Ganda Maláico" e, ao fim de dois ou três temas, primeiro timidamente mas depois com voz de quem «eu paguei o meu bilhete», começaram a dizer, gritar, pedir: «toc'à outra...», «Conan, Conan o homem rã...» e «cócó », «xixi»zes e coisas que tais. Leu-se o desconsolo na cara dos músicos. Isto era para ser a sério... Mas a cruz, a cruz que o Manél já carrega quase desde sempre (ora, dezasseis, à 18 anos atrás vi o primeiro concerto dos Ena Pá 2000, foi organizado pela AE, eu estava no depart. cultural e fiz um texto para o jornal: «Ena Pá! 200 paus» O bilhete era 200 escudos, pois claro.) pois a cruz, tornou-se pesada. Claro que levaram troco, claro que o lello lhes deu para trás, mas sentiu-se fragilizado. Ou pelo menos acho que sim. Depois disso tornei-os a ver mais algumas vezes. Superaram esse episódio. Os músicos continuam excelentes, num houve conseções por esse lado. Mas o lado sério do João, esse, foi mais uma vez hipotecado. E ele agora, faz o que quer, mas sempre vai piscando o olhos aos palermas que o adoram. E isso é bom... porque poupa os músicos que o acompanham e ficam todos, todos, e quase todos satisfeitos. Mas o objectivo inicial era outro, era o, como tu dizes, realizar-se como o «cantor romântico, [o] Tony de Matos deste século», que ele merecia. Apesar de não se poupar, apesar de num se poupar.
Foi mesmo assim, lamento imenso. Aqui ele não se está a boicotar, tentou mas num deu. E então faz-se o possível, para superar a adversidade. E ainda bem, o show e o projecto devem continuar. Acima de tudo isso!


Comentar post

 
livro

livro
Sex Bomb - O terceiro livro Download gratuito

livro

livro

livro Correio da Princesa
jukebox
Jazzanova - No Use

videos



arquivos

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

subscrever rss

badge